20 de março de 2018

Os ignorantes e as redes sociais!

Nossas mães contam algumas mentiras que dificultam ter sentimentos de humildade e simplicidade. É provável que lhe tenha dito: meu filho, você nasceu para ser feliz! Mentira, você nasceu e até pode ser feliz, mas vai ter quer dar uma "raladinha" antes! Teremos que trabalhar com competência, compreender o mundo e batalhar demais na estrada do autoconhecimento.
Maioria das pessoas que se informam pelas redes sociais não querem questionar suas certezas absolutas: iludidas, pensam que sabem!
Outras mentiras foram: "Você é insubstituível! Você é o mais lindo do mundo! Ninguém é mais inteligente que você! Meu filho você sabe tudo!". Esta criança, agora adulta, acredita piamente nisto, afinal foi sua mãe que lhe disse e nossa progenitora quase sempre é a principal referência. Os outros estarão sempre errados e assim surgem os profissionais soberbos que nunca erram diagnósticos, cálculos e nem emitem conceitos errados!
E assim surgem as pessoas que nunca pedem perdão e reconhecem erros, por mais explícitos que sejam! Se possível nunca fale estas frases para os filhos, pois não elevam a autoestima e criam um soberbo! O filho pode ser lindo e inteligente, mas não precisa ser o melhor do mundo, sempre haverá os tão inteligentes quanto ele; nem por isto deixará de ser amado e admirado! O céu apenas com uma estrela seria muito sem graça.
A humildade verdadeira nos coloca na real insignificância no universo enquanto indivíduo e a simplicidade nos permite dividir esta visão com todos, visto que todos têm a mesma significância no universo, ou seja, nenhuma! Que me desculpem os soberbos, orgulhosos, poderosos, gurus e intelectuais, a sabedoria se manifesta apenas quando se soma simplicidade com humildade!
O excesso de informação promove a ignorância, tanto quanto a falta dela! Excesso de informação faz as pessoas acreditarem nas redes sociais. Não acreditem em nada do que se lê nas redes sociais. Simples assim. Sempre, sempre mesmo, confira em fontes confiáveis de jornais e instituições sérias. Claro, é difícil viver desconfiado, mas somos liderados por Temer, Trump, Putin, Theresa May, Maduro e outros, não temos como confiar em nada de primeira!
GATO POR LEBRE
Quando recebo alguma informação, vou conferir antes de comentar. Recebi como manifestação de pesar pela morte do cientista Stephen Hawking uma postagem com seus olhos e um de "seus" pensamentos. Depois de apreciar o pensamento decidi aproveitá-lo nas minhas reflexões e descobri que o referido conteúdo não era de Hawking, mas sim de Daniel Joseph Boorstin, um historiador, professor e escritor norte-americano que atuou como diretor da Biblioteca do Congresso Americano, uma das mais importantes do mundo contemporâneo.
"O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância, mas sim a ilusão de conhecimento", afirmava Boorstin, que morreu em 2004. As pessoas, por receberem muita informação, pensam que adquiriram conhecimento, quando na realidade apenas se informaram, ficaram sabendo que aquilo existe. Quem recebe e guarda a informação em arquivos, não significa que obteve o conhecimento que advém da reflexão, compreensão e abstração.
Informação vem pronta, já conhecimento é mentalmente construído por cada um em sua memória! A maioria das pessoas tem a ilusão de que tem conhecimento, quando verdadeiramente não o tem! Talvez, em um bar, Boorstin diria: o pior ignorante é aquele que se acha esperto, inteligente e bem informado! Hoje poucos são ignorantes por que não têm acesso à informação. A maioria dos ignorantes digitais estão iludidos e são incapazes de refletir. Esta incapacidade vem: 1) da fonte da certeza absoluta em tudo que fazem e pensam, 2) da correnteza dos dogmas insanos e 3) da tranquilidade dos mares da preguiça mental em questionar, ingerindo tudo pronto como verdade.
Quem me presenteou com Stephen Hawking, por engano me deu Daniel Joseph Boorstin. E perguntei pessoalmente: qual a razão do envio da mensagem? O amigo disse: "A mídia toda só falava da morte dele e como recebi eu repassei para muitas pessoas, me pareceu interessante e chique! ". Mal sabia o amigo que a obra mais importante de Boorstin é o livro "A imagem" que discorre sobre como a mídia influencia o comportamento social, como ela comanda a sociedade.
Que coincidência!

Autor: Alberto Consolaro é professor titular da USP - Bauru. Escreve todas as terças-feiras no Jornal da Cidade - JC.

Nenhum comentário: