5 de julho de 2015

Nascimento e agonia do PT!

“Política é a arte de conciliar os interesses
próprios, fingindo conciliar o dos outros”.
Menotti Del Picchia

Eu vi em São Paulo o começo do que seria o Partido dos Trabalhadores. Havia ideais, sonhos, havia firmeza de propósitos e centenas de pessoas que viriam a serem milhares em tempo razoável. O cenário de abertura política favorecia o surgimento de partidos, discussões sobre a participação política das pessoas após dezenas de anos na escuridão.
Neste sentido a gestão democrática de Franco Montoro – PMDB a frente do governo do Estado de São Paulo, foi um oásis dentro da política nacional. Ele incentivou a abertura democrática em SP, dialogou com quase todos os setores e motivou a discussão política dentro e fora das empresas estatais, inclusive incentivando a formação de Núcleos dos Partidos.
Entre eles surgia o Núcleo do PT, não com este nome no princípio, mas com seus aguerridos militantes querendo recuperar anos perdidos de democracia com o fim da ditadura ou pelo menos com a distensão gradual do regime até 1985.
Infelizmente ao contrário do que todos poderiam imaginar, com o tempo veio o crescimento, o amadurecimento com as derrotas a nível Estadual e Federal, e o poder com Lula em 2002. Neste período algumas vitórias significativas aconteciam em alguns municípios importantes do país.
Depois de 13 anos no poder a frente dos destinos da nação e das muitas gestões em governos Estaduais e municipais hoje o PT não tem nada para comemorar. Rasgou seu estatuto, perdeu sua ideologia da época do início do partido, humilhou seus militantes e fundadores, cujos princípios foram aviltados com tanta corrupção e desvios de toda natureza.
Tudo que se esperava que fosse acontecer ao contrário das gestões da ARENA, PDS, PFL, PMDB e PSDB foram desmentidas. Ao contrário, agravaram-se os problemas, aumentaram a carga tributária, reduziram a pó toda e qualquer esperança de um futuro digno para os aposentados e trabalhadores deste nosso imenso país.
Sem contar que roubaram mais e se perderam no submundo das propinas, das fraudes licitatórias e dos paraísos fiscais que tanto criticaram antes de tomarem o poder nas eleições passadas.
A credibilidade do partido beira a zero, assim como a avaliação da gestão de Dilma é um traço nas pesquisas que estão por vir. Fruto do completo distanciamento do partido e seus caciques para com a ética, a moral, a probidade administrativa e o combate à corrupção.
Os petistas, José Dirceu, Vacari Neto, José Genoíno e Lula estão perdidos entre o mensalão e o escândalo das propinas na Petrobrás que está agonizando na Bolsa de Valores e sem credibilidade no setor petroleiro mundial. Sujos de lama do fundo do poço onde eles ajudaram a colocar o partido outrora promissor, que hoje é odiado com razão pela mesma classe média que os ajudou a eleger.
Essa escuridão que experimentam agora, não deverá ser iluminada em 2016 nem em 2018, quando acontecem novas eleições no país. O povo mesmo que de lanternas nas mãos vai cobrar caro cada voto que for pedido pelos caras sujas do PT. As propinas jamais serão esquecidas por boa parte do povo brasileiro, nem devem, diga-se de passagem.

Nenhum comentário: