4 de dezembro de 2014

Atenção - O seu governador pode estar tentando ressuscitar a CPMF!

Algumas das melhores lições são
aprendidas dos erros do passado.
O erro do passado é a sabedoria do futuro.
Dale Turner

O Brasil novamente está começando a andar para trás por conta da ganância, da falta de escrúpulos e da cegueira administrativa que toma posse daqueles que vão estar no poder em 2015. É sabido por quase todos os brasileiros sensatos e inteligentes que o país não suporta mais corrupção e aumento de impostos. Ambos passaram do limite do razoável para grande parcela do povo brasileiro.
A corrupção está longe de ter um fim, embora algumas ações isoladas, é verdade, estejam começando a inibir os corruptos e os corruptores que pela primeira vez foram presos na Operação Lava Jato. E não foram peixinhos, mas sim, peixes graúdos, donos de empresas, diretores e presidentes de empreiteiras que sempre deram as cartas no país.
A não elevação da carga tributária parecia ser um consenso entre os governantes e os políticos da oposição. O brasileiro não suporta um centavo a mais nas suas contas. Sem contar que o país arrecada em demasia e não dá retorno algum para o cidadão através da prestação de serviços como Saúde, Educação, Saneamento Básico, Segurança, etc.
Pois nem bem tomaram posse ainda e alguns governadores começam a articular a volta da malfadada CPMF (Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira) que os tucanos criaram e que os petistas muito criticaram. Pois agora, encampados pelos candidatos recém eleitos do PT, Camilo Santana (CE), Rui Costa (BA) e Wellington Dias (PI) a ideia voltou a assombrar a sociedade brasileira.
E não pensem que a ideia petista será escorraçada pelos demais partidos, pois até o PSDB, grande adversário nas urnas começa a achar a ideia interessante. Defensor declarado da volta do imposto hediondo, Beto Richa – PSDB–PR reeleito governador do Paraná confessou ser favorável a volta do imposto.
No PSB que abrigava Eduardo Campos e que teve Marina Silva como candidata temos o governador da Paraíba Ricardo Coutinho à frente do seu partido defendendo maior destinação de recursos à saúde.
Ninguém discute uma melhor participação e aplicação dos recursos públicos, nem tampouco discutem o rigor da lei para quem não aplicar corretamente os recursos do erário na saúde, educação ou seja aonde estiverem destinados por lei.
Querem mais dinheiro, querem na verdade um cheque em branco da sociedade para depois não aplicarem nenhum centavo nem na saúde nem em lugar algum que venha a beneficiar o povo. Ao contrário, a montanha de recursos sumirá como já aconteceu na época de FHC.
O Brasil precisa do fim da corrupção, da impunidade, da omissão do sistema judiciário e do nascimento de uma gestão pública profissional e honesta. Não serão mais impostos que irão transformar a saúde pública em algo exemplar, até porque os recursos disponíveis são vultosos e se não fossem mal aplicados e/ou roubados serviriam para dar muita tranquilidade ao nosso povo.
Esses governadores e todos sem exceção que vierem a defender essa ideia da volta da CPMF são párias que não deveriam nunca mais ser eleitos a nenhum cargo público enquanto viverem. 


Nenhum comentário: