26 de outubro de 2012

A redução inexplicável dos estádios de futebol no Brasil!

“Há os que lutam uma vez e são importantes.
Os que lutam muitas vezes e são fundamentais.
E há os que lutam sempre, esses são imprescindíveis”.
Brecht

Ao ler a coluna Em Confiança do excelente jornalista Leonardo de Brito no JC - Jornal da Cidade de Bauru na parte em que ele denomina como Memória, eu li o registro do jogo entre Corinthians 4x1 Flamengo no Estádio do Morumbi no ano de 1984.

Logo de cara duas coisas me chamaram a atenção na boa lembrança que a coluna nos proporciona diariamente. A primeira delas é que eu estava vendo este jogo no Estádio naquele dia. Foi uma partida memorável entre as duas grandes equipes. O Corinthians tinha Sócrates, Zenon, Casagrande entre outros e o Flamengo contava com Leandro, Mozer, Adílio e Bebeto.

A segunda coisa que me chamou a atenção e é esta que me interessa neste texto, foi o público pagante naquela partida. 116 (Cento e dezesseis mil) torcedores estavam presentes ao estádio e torceram, vibraram sem que houvesse quaisquer problemas dentro ou fora do estádio.

De lá pra cá muitas coisas mudaram para pior, o futebol praticado hoje em dia é inferior, não se pode mais levar bandeiras dos clubes aos estádios paulistas e o mais interessante, o Morumbi encolheu para 65 mil pagantes nos jogos realizados atualmente.

Como pode um estádio que realizou jogos com mais de 120 mil torcedores e que no ápice da loucura recebeu 138.615 corintianos para ver o time conquistar o Paulistão de 1977, não possa hoje receber nem 1/3 desta mesma torcida?

O anel superior das arquibancadas descobertas continua o mesmo, tendo recebido apenas aqueles plásticos em forma de assento. O anel intermediário denominado de numeradas superiores e cadeiras cativas também estão inalterados. O anel inferior onde de localizam às numeradas inferiores tiveram sim uma modificação com a instalação de bares temáticos e outras modificações.

Entretanto nada que a olho nu justifique uma redução tão drástica na capacidade total do estádio reduzindo-a de 120 mil para 65 mil torcedores. Onde foram parar os 55 mil lugares que desapareceram do Morumbi?

Em vários estádios do país isto aconteceu e não vejo ninguém da imprensa especializada comentar, verificar, fiscalizar e checar para que possamos saber como foi feito o milagre da redução dos estádios brasileiros. Parece até um filme antigo “Querida encolhi as crianças” só que neste caso seria “Querida encolhi os Estádios”.

Vi jogos no Pacaembu com 60 mil pessoas e hoje não deixam mais do que 35 mil entrarem no local. Estranho! Não são cinco mil mas no caso do Morumbi cinquenta e cinco mil lugares a menos na melhor das hipóteses.

Segurança? Mentira, pois os as grandes brigas e mortes sempre foram e continuam sendo fora dos estádios nas ruas sem policiamento adequado.

Conforto? Mentira, pois o Morumbi não oferece nem nunca ofereceu conforto aos torcedores nem na infraestrutura com banheiros imundos e acesso viário muito complicado com total ausência de estacionamentos e linhas de ônibus para atender a demanda.

Isso é mais um daqueles mistérios que só acontecem no Brasil, pais da impunidade, das mentiras e da ausência de participação popular, seja dos torcedores sejam dos sócios do clube, enfim, ninguém questiona nada e tudo segue do jeito que os interessados e o poder querem.

Nenhum comentário: