22 de abril de 2013

As últimas do Brasil - Abril/2013


JUSTIÇA A PASSOS DE TARTARUGA - 20 ANOS!
Depois de decorridos mais de vinte anos do massacre do Carandiru, antigo presídio paulistano, quando por ordem do comandante da PM, conhecimento ou ordem do Secretário de Justiça à época e do Governador os policiais adentraram o presídio para conter uma rebelião. Na ação com força extrema, morreram 111 presos. O julgamento do comandante já falecido o condenou a mais de 600 anos de prisão, ele entrou com recurso e foi absolvido misteriosamente. O maior mistério é ter soldados condenados e homens que comandavam a segurança do Estado serem deixados como testemunhas. Nossa Justiça prova neste julgamento que pune severamente o povão, mas deixa a desejar quando se trata de punir elites políticas. Agora para concluir: Como pode um processo levar 20 ANOS para ser levado aos tribunais? Isso é uma vergonha! Como diria Boris Casoy. Assim é a justiça elitista, injusta e cega do Brasil.

MARACANÃ – PALCO DAS REFORMAS E LICITAÇÕES SEM FIM!
Em 1950 foi inaugurado na cidade do Rio de Janeiro aquele que seria por mais de 50 anos o maior estádio de futebol do mundo, dizem os mais antigos que na final da Copa do Mundo naquele ano da inauguração quase 200 mil pessoas se apertaram para ver o jogo final da Copa vencido pelo Uruguai. O Estádio cansou de receber mais de 160 mil torcedores em jogos da seleção e dos clubes cariocas. Em 2007 foi reinaugurado após receber a primeira grande reforma visando os Jogos Pan Americanos RJ/2007. Pensava-se à época que o estádio estaria apto a receber a Copa do Mundo/2014. Ledo engano, nova licitação, nova reforma e o estádio será reinaugurado em breve para poder abrigar a final da Copa das Confederações em Junho/2013 e a Copa do Mundo em Junho/2014. Entretanto, será novamente fechado e uma nova licitação será feita para nova reforma visando as Olimpíadas RJ/2016. Se somarmos ao final da próxima licitação o que foi gasto com o Maracanã, com certeza poderíamos juntar uma pilha de cédulas de cem reais que seriam mais altas que o Cristo Redentor. O pior é que ninguém é acusado pelo MP. Ninguém levanta à voz contra esta aberração com nosso dinheiro. Ninguém é chamado ao Congresso ou ao Ministério Público para explicar esta gastança desmensurada e obscena.

PIOR QUE DEIXAR A MAIORIDADE PENAL COMO ESTÁ É NÃO DISCUTI-LA COM A SOCIEDADE!
O nosso país perde por ano cerca de trinta mil pessoas em virtude da crescente criminalidade. Criminosos contam com alguns aliados importantes: Justiça morosa e omissa; Benefícios em demasia e um governo que permite que o crime compense aos olhos dos criminosos. Nesta situação inserimos o problema do menor infrator ou assassino, pois infração pode ter pena branda em instituições apropriadas. Já assassinatos, estupros, sequestros e outros tipos de crimes precisam de penas mais severas, assim como no primeiro mundo. O difícil é fazer o governo Dilma e sua base aliada darem atenção à sociedade que sofre em meio a uma verdadeira guerrilha urbana nas grandes capitais e já começa a acusar a violência no antes tranquilo campo. Este silêncio cheira a omissão, desinteresse e desprezo pelo cidadão brasileiro.

SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA NA UTI!
Antes eram apenas os usuários do SUS – Sistema Único de Saúde que padeciam em filas, não encontravam médicos e medicamentos nas unidades básicas de saúde e nos pronto atendimento em todo país. Agora avançamos muito e já estamos vendo o fenômeno da má gestão e do péssimo atendimento chegar aos brasileiros portadores de planos de saúde. Em SP uma consulta para uma criança está levando em média 3 a 4 horas para quem tem plano de saúde no sistema privado.

SARNEY AFIRMA QUE SE NASCESSE HOJE NÃO ENTRARIA PARA POLÍTICA!
Que pena que não podemos mata-lo, para depois reencarna-lo só para ver se esta afirmação é mesmo verdadeira ou se trata como tantas outras de afirmações com cunho eleitoreiro, demagogo e sem nenhuma credibilidade. Ele está no poder exercendo cargos públicos desde 1966, ou seja, 47 anos ininterruptos no poder. Será que neste tempo todo não pensou em ao menos parar e nos privar de sua presença na vida pública nacional?

Nenhum comentário: