6 de abril de 2012

Um livro, um agradecimento e uma parte do meu coração!

"... quando explicamos a poesia ela torna-se banal. Melhor do que qualquer explicação é a experiência direta das emoções, que a poesia revela a uma alma predisposta a compreendê-la." Pablo Neruda)

Escrever um livro não é fácil nem difícil, mas é preciso ter conhecimento do assunto a ser abordado, que pode ser técnico, biográfico, simples relato de ideias, conto, crônicas ou poemas. Depois é preciso ter dom, paciência para buscar a melhor alternativa de custo editorial e assim moldar sua forma final.
Eu acabo de realizar meu primeiro sonho, que era colocar em livro meus poemas, havia muitos, tive que seleciona-los e passar por todo processo acima citado. Ao final de muita espera deu tudo certo, ao menos fiz chegar aos amigos à possibilidade de visitarem no papel um pouco do meu coração.
Ver o livro na livraria após seu lançamento em Bauru foi algo que me deixou emocionado, bem como, o carinho dos amigos no dia do lançamento na cidade que vivo. Depois receber a notícia da sua disponibilidade numa grande rede de vendas online por todo território continental de nosso país é muito gratificante.
Penso em tentar outros projetos dentro de alguns meses e para isso quero agradecer cada um dos amigos e familiares que me ajudaram neste momento, quer seja estando presentes ou mesmo à distância divulgando, torcendo e vivendo cada momento de magia que vivo agora.
Estes poemas como diz sabiamente o poeta Pablo Neruda de quem sou assíduo leitor e fã não tem explicação, pois a experiência direta das suas emoções que revelam as almas predispostas a compreendê-la. Ou como disse o escritor José Saramago:
“Escrever é traduzir, mesmo quando estivermos a utilizar a nossa própria língua. Transportamos o que vemos e que sentimos para um código convencional de signos, a escrita... e deixamos às circunstâncias e aos acasos da comunicação a responsabilidade de fazer chegar à inteligência do leitor, não tanto a integridade da experiência que nos propusemos transmitir... Mas uma sombra, ao menos, do que no fundo do nosso espírito sabemos bem ser intraduzível, por exemplo... A emoção pura de um encontro, o deslumbramento de uma descoberta, esse instante fugaz de silêncio anterior à palavra que vai ficar na memória como o rasto de um sonho que o tempo não apagará por completo.”
Obrigado de coração aos amigos que leem meus escritos neste Blog e o divulgam, fazendo com que tenha atingido a marca mais de doze mil visitas em menos de dois anos. Aos amigos que compraram e estão divulgando meu Livro O Tempo na Varanda. Fiquem com Deus.

Nenhum comentário: