30 de maio de 2018

O mistério do desaparecimento do avião da Malaysia Airlines!


A irracionalidade de uma coisa
não é argumento contra a sua existência,
mas sim uma condição para ela. 
Nietzche.

Após quatro anos o governo da Malásia encerrou as buscas pela aeronave Boeing 777 da Malaysia Airlines que fazia a rota do voo MH370 entre Kuala Lumpur na Malásia e Pequim na China, quando misteriosamente desapareceu com 239 pessoas a bordo, sem deixar vestígios na noite de oito de março de 2014.
O governo daquele país contratou a empresa americana Ocean Infinity para procurar algum indício que levasse a solucionar o mistério do desaparecimento da aeronave. As buscas foram feitas pela empresa por 90 dias, prorrogadas por duas ocasiões, sem que houvesse algum avanço ou informação substancial para o governo e as famílias dos tripulantes e passageiros do voo MH 370.
Antes da contratação da empresa americana, equipes da Malásia, Austrália e da China fizeram uma verdadeira varredura por 120 mil quilômetros quadrados no Oceano Indico em busca de quaisquer evidências sem, no entanto, lograr êxito.
Varias teses foram criadas, uma delas, talvez a mais aceita de que o desaparecimento fora provocado por um dos pilotos que teria deliberadamente despressurizado o avião para que seus ocupantes ficassem inconscientes. Em seguida, teria alterado a rota rumo ao sul, voando até acabar o combustível da aeronave.
Alguns destroços foram encontrados por acaso na Ilha francesa de La Réunion, em Moçambique e em Madagascar, no Oceano Indico, mas a aeronave jamais foi localizada.
A verdade é que fica difícil acreditar nesta tese quando percebemos que três países ficaram três anos averiguando todas as possibilidades e alocando recursos humanos e tecnológicos avançados na busca por uma explicação que levasse aos destroços da aeronave.
A queda e o desparecimento remontam a tese do livro O Triângulo das Bermudas publicado em 1974 de autoria de Charles Berlitz, que popularizou a crença no Triângulo das Bermudas como uma área do Oceano Atlântico propensa ao desaparecimento misterioso de navios e aviões. O livro tornou-se um bestseller e vendeu quase 20 milhões de cópias, sendo publicado em 30 idiomas.
No livro, o autor elabora várias teorias para explicar os desaparecimentos, contudo ele preferiu optar por dar credibilidade para aquelas que têm uma causa natural. Uma dessas teorias afirma que o Triângulo das Bermudas é na verdade um subproduto da destruição de Atlântida, a lendária ilha descrita por Platão.
Seja lá como for, é muito estranho que em pleno século XXI, com toda tecnologia disponível, um imenso avião desaparece nas profundezas do mar, sem deixar nenhum vestígio que pudesse apontar sua correta localização e facilitar o esclarecimento dos motivos de sua queda.

Nenhum comentário: