16 de fevereiro de 2018

Sobre o que é legal, porém, completamente imoral aos olhos do povo!

Seria uma atitude muito ingênua esperar que
as classes dominantes desenvolvessem uma forma
de educação que permitisse aos menos favorecidos
perceberem as injustiças sociais de forma critica.
Paulo Freire
Com relação à divulgação por parte da mídia dos benefícios, penduricalhos ou adicionais como queiram, recebidos por parte da alguns membros dos 3 Poderes constituídos da República tenho o seguinte a dizer:
“Por sua imoralidade e incompatibilidade com aquilo que a maioria recebe analogamente em suas profissões em todo território nacional, todos e quaisquer benefícios de auxilio moradia, paletó, educação, concedidos aos servidores públicos do alto escalão da Justiça, Legislativo e Executivo, deveriam ser banidos imediatamente dos seus vencimentos através de lei específica. "Eles" deveriam receber apenas a semelhança do trabalhador comum”.
Num país onde a desigualdade gritante explica o massacre que as classes menos favorecidas sofrem para poder sobreviver num país tão rico. Com abundância de terras férteis, minérios e riquezas diversas em seu vasto subsolo, é inaceitável que justamente aqueles que são eleitos representantes do povo ou que galgaram postos no poder judiciário, recebam benefícios que deveriam sim, existir, porém destinados para a camada mais necessitada da sociedade.
Mas aqui no país, ao contrário do que acontece nos países do chamado primeiro mundo, os políticos e os membros da casta dos marajás do serviço público têm acesso privilegiado as riquezas, oportunidades e os benefícios legislados por eles mesmos.  
Isso faz com que não tenhamos nenhuma esperança de um Brasil melhor, de uma nação que seja grandiosa e pudesse construir sua história em cima de crescimento social, desenvolvimento econômico sob a batuta de gestores políticos competentes.
Infelizmente, aqui vigora a Lei de Gérson – Levar vantagem em tudo. Para nossa tristeza, essa máxima é praticada pelos políticos, grandes empresários, lobistas, pessoas de todas as classes sociais com raras exceções.
Se a maioria do povo brasileiro soubesse a força que possui e colocasse isso em prática, fiscalizando, cobrando e atuando em defesa do que é público, do que é nosso, por conseguinte, muitas coisas seriam diferentes no país.
Em Santo Antônio da Platina – PR, uma brasileira, inconformada com a aprovação em primeira instância na Câmara, de um projeto que aumentava os salários do Prefeito, Vice e Vereadores em quase cem por cento foi até o local falar com o autor do projeto.
Sua conversa com ele foi gravada por um celular de um amigo. Na conversa ela critica o aumento e cita a crise pela qual todos na cidade e no país estavam passando. Ele então retruca dizendo desconhecer qualquer crise, que para ele não existia.
A conversa viralizou na internet e nas redes sociais. No dia da votação final do projeto para sua aprovação, a Câmara estava abarrotada de moradores da cidade. A pressão foi tamanha que o projeto foi reprovado, e, em seguida aprovado um novo texto que reduzia o salário dos vereadores para um salário mínimo.
Vitória da sociedade local, dessa senhora corajosa e da democracia. Não é apenas votar, mas sim participar, cobrar e fiscalizar o Poder Executivo e Legislativo que está ao seu lado em seu município principalmente. País limpo, município limpo! 

Nenhum comentário: