26 de setembro de 2017

Uma sociedade mal informada!

Ninguém pretende que a democracia seja
perfeita ou sem defeito. Tem-se dito que
a democracia é a pior forma de governo,
salvo todas as demais formas que tem
sido experimentadas de tempos em tempos.
Winston Churchill

O Brasil é um dos poucos países do mundo que mesmo após ter passado por uma ditadura militar, fruto de um golpe em 1964, ainda tem saudade e até faz apologia a uma improvável nova intervenção militar. A desculpa utilizada é que a corrupção dos políticos está insuportável. Como se de 1964 a 1985 todos os corruptos tivessem sido julgados, condenados e presos pelo sistema militar.
Se assim fosse, a ditadura militar não teria colocado no poder José Sarney como governador do Maranhão em 1965, Paulo Maluf como governador de São Paulo em 1978 ou mesmo guindado ao poder Antônio Carlos Magalhães – Toninho Malvadeza na Bahia.
O problema da corrupção e dos políticos que a praticam junto com empresários corruptores é idêntica às pessoas que votam sem consciência. Gente que leva a vida e as eleições na farra, muitos deles sem comparecer as urnas. Para estes, qualquer regime serve, pois eles não estão nem um pouco preocupados com o destino da Nação. Querem ganhar dinheiro facilmente ou viver do ócio mental.
Santa inocência acreditar que no período entre 1964 e 1985 o país não teve corrupção, como se esta, existisse apenas antes e depois do período militar. Reza a lenda, que nas grandes obras realizadas pela ditadura a propina era a mesma, apenas o que a diferenciava era o percentual que nunca ficava acima de 10% do valor da obra.
Neste período tivemos os Casos Capemi, Coroa Brastel, Delfin, BrasilInvest, PauliPetro, Projeto Jari apenas para destacar os mais importantes. O que acontecia na época é que estes e muitos outros crimes ficavam acobertados e a imprensa não podia noticiá-los sem a autorização dos generais. Assim ficava fácil o sistema parecer honesto.
Supor que seja um grande exemplo, os generais supostamente terem morrido pobres não me comove, nem altera o terror que o país vivenciou durante o período negro dos governos militares. Até no futebol eles se meteram, tirando um treinador da seleção e o substituindo por uma comissão técnica de pessoas ligadas ao regime.
Algumas pessoas conservadoras odeiam Cuba, embora amem dizer que nosso país precisa de “intervenção militar”. Suas argumentações são de que o regime ditatorial cubano não dá liberdade ao seu povo e prende os oposicionistas ao regime. E o que os militares fizeram no Brasil enquanto estavam no poder? Assim foi no Chile, Argentina, Bolívia e tantos outros países onde a democracia foi sequestrada por militares.
O nosso caos de corrupção vem de muito longe, está ligado a alguns fatores, entre eles a ganância, a impunidade provocada por leis com penas brandas, a justiça morosa e conivente aliada a liberdade demasiada que partidos políticos têm para manipular cargos e recursos sem o devido controle.

Nenhum comentário: