30 de setembro de 2016

Quando os juízes são os criminosos, perde-se a esperança no país!

“Quando o dinheiro fala, a verdade cala”.
Provérbio Chinês

A descoberta no nordeste de um esquema de vendas de sentenças e habeas corpus através de desembargadores, advogados e servidores do judiciário, demonstram que a corrupção e a criminalidade estão muito além das cercanias dos palácios governamentais e do congresso nacional.
Por ironia do destino, os meliantes negociavam a compra e a venda de sentenças e habeas corpus através de grupos formados no Whatsapp. O mesmo aplicativo que causa úlceras em alguns juízes quando estes querem informações de outros bandidos. O esquema ilícito foi descoberto e está sendo investigado pela Polícia Federal através de sua Operação Expresso 150, batizada de “Operação Cappuccino”.
A operação policial cumpriu nesta data (29/09/16) vinte e quatro conduções coercitivas, dentre estas, três desembargadores, além de 19 mandados de busca e apreensão em escritórios, residências e no próprio Tribunal de Justiça do Ceará.
Segundo dados preliminares das investigações, os desembargadores negociavam as sentenças por cerca de R$ 150 mil reais em média. Na sua maioria, os criminosos que usufruíam desse crime cometido por seus advogados e os desembargadores eram de altíssima periculosidade. Pobre sociedade brasileira!
Santa inocência acreditar que a prisão de alguns empresários e políticos de apenas um partido, poderia nos dar ao menos, a pueril sensação de “Justiça”. Estamos muito longe de chegar a este patamar sonhado, e o motivo não são apenas os desvios e roubos praticados por membros do Legislativo e do Executivo, há muito mais em jogo e interesse zero em resolver questões tão complexas.
O poder judiciário precisa ser passado a limpo, assim como os demais poderes da república deste país. Não há um único segmento que manipule dinheiro, que não esteja comprometido com a corrupção no Brasil.
Em países do chamado primeiro mundo, quando membros da polícia ou da Justiça cometem crimes, as penas são aplicadas em dobro aos réus. Nada mais justo, pois suportar políticos corruptos é inaceitável, porém, desembargadores, advogados e servidores é algo inadmissível a luz da lei e da moralidade.
Para piorar ainda mais a situação, a polícia federal apreendeu além das conversações via WhatsApp, provas e diversos materiais criminosos, inclusive de pornografia infantil. Os envolvidos mantinham e compartilhavam vídeos e fotos com cenas de sexo envolvendo crianças e adolescentes.
A partir destas apreensões como o cidadão brasileiro pode confiar no Sistema Judiciário? Como não imaginar que além de vender sentenças e Habeas Corpus para libertar criminosos eles não estejam em outros Estados prejudicando outros segmentos da Justiça?
Será que não há o mesmo crime ocorrendo nas Varas da Justiça do Trabalho, Previdenciária e Tributária? Quem nos garante a isenção e a aplicação correta das leis em outros processos espalhados pelo nosso país?
Será que alguns Municípios e Estados também não participam dessa verdadeira Sodoma e Gomorra? A julgar pela demora na divulgação de sentenças e na aplicação da execução dos processos, favoráveis aos cidadãos comuns fica a dúvida no ar. Quem já entrou com processos contra o Poder Executivo em suas três instâncias sabe que a demora é de dez a vinte anos para se obter um resultado.

Nenhum comentário: