24 de julho de 2016

Americanos vão experimentar o voto no "Menos pior"!

Enquanto navega pela vida, não evite tempestades e águas bravias.
Apenas deixe-as passar. Apenas navegue. Sempre se lembre:
Mares calmos não fazem bons marinheiros. 
Autor desconhecido

Em novembro deste ano os eleitores dos EUA irão eleger um novo presidente para comandar o país pelos próximos quatro anos. Barack Obama será substituído por Hillary Diane Rodhan Clinton (Democrata) ou pelo bufão Donald John Trump (Republicano).
Talvez pela primeira vez os americanos vão sentir uma sensação que já é habitual para o eleitor brasileiro. A sensação de votar no menos pior, visto que os dois postulantes à presidência não são aqueles que o eleitor mais gostaria de eleger.
A senadora Hilary Clinton poderá ser a primeira mulher a ocupar o cargo considerado o mais importante do planeta. Esposa do ex-presidente Bill Clinton, ela não consegue ser unanimidade nem mesmo dentro do seu partido.
Ela é acusada de ter utilizado um servidor privado de e-mails quando ainda era Secretaria de Estado (2009-2013), com supostos riscos à segurança. Após a investigação o FBI decidiu não indiciar Hillary, mas concluiu que ela foi “extremamente descuidada”.
Aos olhos dos brasileiros isso parece até brincadeira, visto que em nosso país, políticos de vários escalões do Poder Executivo praticam corrupção, fraudam leis, desviam recursos, sonegam impostos, etc.
Um fator poderá ser decisivo para a eleição de Hillary, a ojeriza ao fanfarrão Donald Trump acaba unindo quem está contra ele nas eleições.
Trump é um milionário sem noção, extremista de direita, conservador, pretende banir ou pelo menos dificultar e muito, a vida dos latinos, mexicanos e orientais que vivem atualmente nos EUA. É ideia sua construir um muro gigante separando a fronteira do país com o México.
Ele é defensor de armas, de invasões a países inimigos, e tem nos seus discursos um cunho exageradamente populista e anti-imigração.
Ao lançar sua candidatura acusou o México de enviar “drogas” e “estupradores” através da fronteira dos EUA. Seus discursos soam preconceituosos e afastam importantes apoios do meio político, religioso e cultural. Praticamente todos os grandes artistas de Hollywood, do meio musical e da arte em geral são contrários à eleição de Trump.
Se Hillary não inspira confiança, Trump exala medo em virtude de suas propostas pouco ortodoxas. Carregadas de preconceitos e ódio.

Nenhum comentário: