13 de janeiro de 2016

Aumento das passagens requer ação maior!

“As injúrias são as razões
dos que não têm razão"
Rousseau
  

 Os abusivos aumentos das passagens do transporte público (Ônibus, Trens e Metrô), nas grandes capitais brasileiras deveriam ter uma reação contrária muito maior da mídia e da sociedade civil brasileira. A mídia deveria buscar acesso aos contratos de concessão destes serviços e as sigilosas planilhas de preços e custos.
É ultrajante não apenas os valores obscenos praticados e que estão sendo majorados acima do razoável, mas principalmente porque os usuários não tem transporte de qualidade nestas Capitais. A oferta é insuficiente, sem conforto, segurança e sem opções de horários que atendam a demanda.
No ano de 2013 quando das manifestações contrárias ao aumento de R$ 0,30 (Trinta centavos), os governantes e a sociedade brasileira perderam uma enorme oportunidade de discutirem a fundo, com o auxilio de especialistas, o setor de transportes nas grandes cidades.
Infelizmente o assunto tão importante perdeu espaço na mídia e nas discussões para as ações de vandalismo dos Black Blocs tupiniquins. Agora, quase três anos depois os governadores e prefeitos voltam a ter comichão para atender os empresários do segmento, em detrimento da camada mais necessitada da população representada por eles.
Em São Paulo, a Prefeitura (PT) e o Governo do Estado (PSDB) determinaram que as passagens de Ônibus, Trens e Metrô passem a custar aos bolsos dos usuários R$ 3,80 (Três reais e oitenta centavos). Pelo serviço sem qualidade prestado este valor é alto demais, pois o sistema ferroviário não cumpre horário e tem sérios problemas de manutenção. O Metrô não atende a forte demanda diária e, espera o governador ampliar o sistema, enquanto os ônibus são sujos, inseguros e sem conforto algum. Dane-se o povo é o que pensam as autoridades!
A sociedade se fosse minimamente organizada deveria agir em silêncio, protestando nas urnas contra estes que hoje os golpeiam no orçamento familiar já debilitado por uma série de fatores da conjuntura econômica nacional.
A população deveria não votar em 2016 e 2018 em candidatos dos dois partidos – PT e PSDB em SP, por exemplo, alijando-os do poder que hoje detém. Aliás, o tucanato está no poder desde 1995, tempo mais do que suficiente para ter feito algo em termos de política pública para os transportes públicos no Estado que governa.
O dia que o cidadão perceber a força que tem, com certeza não precisará sair às ruas para protestar e acabar se misturando com bandidos mascarados, que só querem vandalizar e jogar no lixo o protesto correto dos usuários do sistema.
Se nenhum político dos partidos que governam a cidade e o Estado fossem eleitos ou reeleitos, com certeza pensariam mil vezes antes de aumentar o valor das passagens do transporte público para encher os bolsos milionários dos empresários amigos.

Nenhum comentário: