3 de julho de 2015

Sequestradora tratada com consideração pela Justiça!

“O juiz é condenado quando
o criminoso é absolvido"
P. Ciro

Nossa justiça continua dando exemplos de que entre o cidadão comum e trabalhador que paga pesados tributos ao país e um criminoso, sua opção no sistema judiciário é geralmente pelo criminoso.
São muitos os exemplos de tratamento VIP que assassinos estupradores e demais párias da sociedade recebem em detrimento do que é oferecido ao cidadão de bem da nossa sociedade.
Recentemente uma criminosa sem escrúpulos tirou do colo de uma jovem mãe uma criança recém-nascida. O motivo torpe seria levar a neném ao namorado presidiário e tentar manter o namoro com o marginal, cuja família, não aceitava o relacionamento entre o rapaz mais jovem e a mulher que não pode ter filhos. (Seria cômico se não fosse trágica as exigências da família do marginal).
Neuza então resolveu sequestrar uma menina recém-nascida para que esta pudesse se passar por sua filha. A meliante em parceira com outra mulher e contando com a ajuda da própria filha de 15 anos de idade planejou o golpe.
Elas então roubaram a criança da mãe num terminal de ônibus de Várzea Grande - MT. A sequestradora colocou a arma de fogo na cabeça da pobre mãe, enquanto sua filha tirava à força a neném dos braços da mãe. Uma cena forte, que pode estraçalhar o coração de qualquer pessoa neste mundo.
A polícia foi avisada e começou a busca pelas sequestradoras na cidade e região. Uma denúncia anônima realizada seis horas após o sequestro levou os policiais ao local onde a criança estava com a sequestradora. Os policiais efetuaram a prisão das criminosas e levaram a criança de volta aos braços da mãe e familiares que estavam aflitos em Várzea Grande.
A delegada interrogou as criminosas, montou o processo e mandou recolhe-las a um presídio feminino em MT.
Eis que surge a surpresa inimaginável, para a qual não existem justificativas plausíveis que deem a ela sustentação. O Juiz não manteve as criminosas presas, nem estipulou fiança. Simplesmente as liberou pela porta da frente do presídio para voltarem para Várzea Grande e responderem pelo crime hediondo em liberdade.
Como pode um juiz se basear em um processo onde uma recém-nascida é retirada sob a força de uma arma de fogo do colo da jovem mãe, sequestrada e poder ficar em liberdade para responder o processo?
Será que a Justiça perdeu o bom senso? Será que os juízes receberam ordens superiores para não mandar para os presídios lotados mais criminosos?
Ou será que este juiz em particular acredita mesmo que está criminosa não deva ficar recolhida, longe da sociedade que ela tanto odeia?
O argumento do magistrado é estapafúrdio, diz ele que não qualificaria o crime como sequestro, mas sim como apropriação indevida de incapaz. Difícil crer que num país onde a violência está em todos os cantos, um magistrado consiga justificar aquilo que é injustificável.
            A possibilidade desta criminosa responder o processo em liberdade é um prêmio para ela e um incentivo gigante para todos os demais criminosos que pretendem aterrorizar outras famílias brasileiras.

Nenhum comentário: