5 de julho de 2015

Oásis nas cidades brasileiras!

“A história é uma galeria de
quadros em que há poucos
originais e muitas cópias"
Tocqueville

 No Brasil temos aproximadamente 5.570 municípios constituídos e tirando o sono dos brasileiros com a sua ineficiência administrativa e os impostos que cobram de seus munícipes.
Muitos deles jamais deveriam ter sido formados, pois viviam em vilas, distritos ou povoados ao lado de cidades constituídas e bem estruturadas em vários Estados brasileiros, mas a ganância de alguns espertalhões acaba enganando a maioria simples e as cidades se proliferam feito o mosquito da Dengue.
 Fato é que, existem centenas de cidades recém-inauguradas com menos habitantes que servidores públicos. Cujo custo de manutenção é muito maior do que a parca arrecadação auferida dos impostos e verbas enviadas pelo Estado e Governo Federal.
Temos mais vereadores do que médicos, tendo em vista que cada nova cidade tem no mínimo 7 a 9 vereadores e toda equipe complementar para “trabalhar” pelos munícipes.
Agora, chama minha atenção que diante de quase seis mil cidades no país, apenas algumas tem realizado obras e serviços que as colocam num mesmo patamar se as compararmos com cidades do mesmo tamanho no exterior.
Em Niterói, cidade fluminense ao lado da cidade do Rio de Janeiro tem uma administração com relação a sua água tratada que a credencia como uma das melhores do Brasil. O município conseguiu reduzir de 40% para 17% o desperdício de água tratada na cidade nos últimos 15 anos. Este índice está muito próximo de cidades europeias onde o desperdício é abaixo de 10%.
Para conseguir atingir estes índices satisfatórios a administração pública investiu, comprou novos equipamentos e montou um laboratório que testa cerca de mil hidrômetros por mês.
Na cidade de Jundiaí e região cerca de 13 municípios foi implantado um sistema de monitoramento através de câmeras de vídeo com transmissão online 24 horas ao dia para uma central de policiamento da PM.
A redução da violência e dos roubos nestas cidades foi espantosa. Além da recuperação de veículos roubados que tentam circular nos municípios daquela região.
Todo e qualquer veículo furtado cujas placas e características forem passadas para a polícia passam a ser vigiados automaticamente. No momento que circularem pelas cidades em questão, um alarme soará na central de monitoramento e viaturas da PM seguirão na captura dos bandidos.
         Juntos, os equipamentos das dez cidades tiram em média 5 milhões de fotos por dia. Pelo sistema, é possível descobrir o caminho feito por todos os carros suspeitos e saber quanto tempo cada um ficou na cidade. "O sistema demonstrou que sempre que ocorriam furtos de motocicleta na cidade, a eles estava vinculada uma dupla numa motocicleta. Essas pessoas foram identificadas e presas, responsabilizadas por mais de 30 furtos desse tipo de veículo no município", conta José Roberto Ferraz, comandante da GCM.
          Se a experiência foi de sucesso em Jundiaí por que as demais cidades de médio e grande porte de São Paulo não instalaram ainda o sistema? Por que a maioria dos prefeitos e gestores públicos são preguiçosos e sem visão administrativa de futuro a médio e longo prazo? Porque não planejam e buscam em outras cidades, Estados e até países soluções simples para resolver problemas sérios? 
       A cidade de São Caetano do Sul tem índice de IDH – Índice de Desenvolvimento Humano surpreendente apesar de ser um município pequeno, ao lado de potências como São Bernardo, Santo André e São Paulo. No entanto investe em educação, segurança e esportes muito mais do que seus vizinhos. 
        Existem centenas de bons exemplos, raros são aqueles copiados pelos ineficientes gestores públicos do país, políticos cujos únicos interesses estão ligados ao poder, seus vencimentos e suas manobras políticas.

Nenhum comentário: