22 de julho de 2015

Dolce vita!

De que adiantam leis quando há miséria
interior e esplendor externo?
Chuang Tzu

Até acontecer a prisão dos sete suspeitos em corrupção e recebimento de propinas na sede da FIFA na Suíça, fruto de investigação rigorosa do FBI e da Justiça Federal dos EUA, viajar era uma das coisas favoritas dos ocupantes da Presidência da CBF.
Eles viajavam tanto, que às vezes até pensávamos que trabalhavam muito também. O ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira cruzou o mundo várias vezes, viajou tanto que até comprou uma mansão faraônica nos EUA. Seu substituto, José Maria Marin não teve assim tanto tempo para poder viajar, mas foi um campeão, afinal de contas em pouquíssimo tempo conseguiu chamar a atenção das autoridades suíças e americanas. Está preso e não pôde mais continuar seus périplos pela Europa e resto do mundo com o dinheiro da CBF e das propinas conforme as suspeitas que sobre ele recaem.
Interessante é que quando as prisões aconteceram na Suíça o Senhor Marco Polo Del Nero atual presidente da CBF, um esbanjador contumaz fugiu pelas portas dos fundos da sede da FIFA em Zurique. Saiu à francesa, em desabalada carreira da FIFA para o aeroporto mais próximo. Correu como o diabo foge da cruz, nunca correu tanto em sua vida.
De volta ao Brasil não sofreu nenhum processo até o momento, nem investigação que se saiba, nem ao menos seus supostos algozes no Congresso Nacional o incomodaram com a abertura de uma CPI ou de qualquer outro pedido correlato. Aos poucos foi se sentindo novamente no Brasil - O paraíso da Impunidade e da Corrupção mundial.
Ainda não circula muito, mas vai da sua mansão para a CBF e vice versa com desenvoltura e sem maiores receios. Desde que entrou para o mundo do futebol sua vida mudou para melhor. Mesmo com o país em crise, nada em dinheiro e possui iate, carrões de luxo, apartamentos de coberturas e outros imóveis que infelizmente a sociedade desconhece.
Desde que sofreu aquele “sustinho” na Suíça, saiu de circulação das capas de revistas onde posava ao lado de mulheres muito bonitas, quarenta anos mais jovens do que o Don Juan da CBF. Hoje está mais comedido e sem muita exposição na mídia.
Como é bom viver no Brasil, aqui ninguém é incomodado pela Receita Federal, exceto um trabalhador que cometer um erro em sua declaração anual de rendimentos, este sim, será tratado com o rigor da lei e multas de até 75% sobre o valor a ser pago. 
Já os poderosos possuem mecanismos legais (Donos de redes de TV, Clubes de Futebol, Artistas milionários, Empresários e Políticos) que facilitam e muito a sua relação de riqueza com o fisco. Também não sofrem muito com a Justiça, porque podem contratar advogados a peso de ouro (Euro) e manter uma relação de impetração de recursos até chegarem aos setenta anos e conseguirem graças a benesses infindas saírem ilesos, assim como Paulo Maluf, por exemplo.
Isso sim é que é uma Doce Vida (Dolce Vita) neste paraíso de propinas, contratos superfaturados, placas estáticas em estádios e outras facilidades para ser milionário. Viva a vida Del Nero, se você pagar será em outro andar, em outro tempo, talvez no umbral, quem sabe mais fundo ainda no inferno.

Nenhum comentário: