30 de junho de 2015

Impostos ainda vão engolir este país!

De que adiantam leis quando há
miséria interior e esplendor externo?
Chuang Tzu



 Na manhã de 29 de junho de 2015, o povo brasileiro acordou e ficou sabendo que seu competente governo federal atingiu a marca obscena de R$1 trilhão em arrecadação de impostos. Dinheiro que além de ser uma quantia exagerada, tem o grande problema de não voltar em forma de serviços e obras para a sociedade que pagou estes impostos injustos e utilizados para bancar as despesas internas e externas deste governo pífio do PT.
Sem contar que este governo não reduz gastos com folha de pagamento nem com contratações equivocadas e passa o tempo aparelhando o Estado brasileiro, o que propicia apenas ganho para uma minoria da sociedade brasileira.
Nossa divida externa aumenta numa progressão geométrica enquanto acumulam-se problemas no seio dos lares brasileiros como, por exemplo, inflação, preços altos, desemprego, PIB ridículo, juros estratosféricos, corrupção, insegurança, obras paradas, orçamento nunca realizado, apesar de aprovado, cortes em área vitais e muita mentira, mas muita mentira nas peças publicitárias em toda mídia nacional.
O Brasil tem recursos, porém, falta vontade política, falta inteligência e honestidade de propósitos em todos os escalões governamentais. Todos querem poder, dinheiro fácil, enganar o povo, e, sempre que possível desviar recursos do erário para contas em paraísos fiscais.
A reforma fiscal nesta gestão da Dilma não virá jamais, pois o que o governo quer é fazer o chamado “Ajuste Fiscal” que significa literalmente aumento de impostos, e não a redução dos tributos com a possibilidade de acréscimo de arrecadação a partir de uma tributação mais justa.
Até o final de 2015 veremos a arrecadação ultrapassar um trilhão e meio de reais, o que é um escárnio para uma população que não tem segurança, o atendimento dos hospitais é um lixo, falta saneamento básico e Educação de qualidade em todo país.
A sociedade civil ao lado das entidades representativas de classes, segmentos representativos do Comércio e Indústria precisam lutar contra essa aberração que vivemos há muito tempo e que parece não ter fim. Dinheiro que se juntarmos aos desperdícios das obras paradas e mais o ralo gigantesco da corrupção poderiam transformar o Brasil numa Nação poderosa.
           Entretanto, ninguém reclama, nenhuma entidade representativa de classe luta para reverter essa lógica perversa no país. Ao contrário, recentemente vimos a FIESP através de seu presidente Paulo Skaf lutar junto com setores reacionários pela implantação da terceirização completa no país. Redução de impostos é uma bandeira que deveria ser de todo país, porém, fica esquecida e só é lembrada quando atingimos mais de um trilhão de arrecadação desta máquina trituradora de sonhos chamada Governo Federal do Brasil.

Nenhum comentário: