3 de outubro de 2014

A era digital e a terceira (Melhor) idade!

O nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado:
nele se encontra todos os segredos,
inclusive o da felicidade. Charles Chaplin


O Brasil já foi um país essencialmente habitado por uma população em sua maioria composta por jovens. Mas como era de se esperar, o tempo passa e não nos permite o cálice da eterna juventude. Sendo assim, caminhamos para em breve termos uma população mais “experiente”, menos jovem ou composta em sua maioria por pessoas da chamada “Melhor Idade”.

Além do planejamento que já deveria ter sido realizado, visando dar melhores condições de saúde para essa população que com certeza utilizará com mais frequência a medicina pública, o governo brasileiro deveria também se preocupar em prover essa futura geração de mecanismos sociais, culturais e de inclusão digital.

Para que assim não haja desconforto e a maioria possa estar adaptada para usufruir das vantagens da evolução tecnológica que avança celeremente em todo planeta. Robótica, Informática e Telefonia digital, celulares cada dia mais modernos e complexos, possibilitando acessos ilimitados a um mundo novo.

Claro que as pessoas que hoje convivem com a era digital, no futuro terão envelhecido sabendo e aproveitando de todas as mudanças realizadas. Estes com certeza não vão sentir dificuldades na melhor idade. Mas vivemos no Brasil, onde uma imensa maioria vive no século passado quando pensamos em qualidade de vida, saúde, educação e até mesmo na questão do saneamento básico.

Muitos jovens e adultos não tem acesso algum a informática, tecnologia e telefonia de última geração. Estes com certeza terão no futuro imensa dificuldade para interagir com um mundo cada vez mais conectado as redes sociais, internet de última geração, incluindo o sistema de televisão por satélite que está cada vez mais integrado aos sistemas de telefonia e informática.

Não fazer nada no presente é alijar no futuro uma enorme parcela da população brasileira de viver com conforto, informação em tempo real, educação e muito mais na evolução tecnológica que avança a passos largos. Hoje percebemos que muitas pessoas na melhor idade não acessam internet, não possuem celulares, não se conectam em redes sociais, vivendo isoladas do convívio com o mundo ao seu redor.

Pesquisas online de todas as espécies são possíveis hoje em dia na internet e via telefonia celular para a marcação de consultas médicas, odontológicas, compromissos bancários, reservas de passagens aéreas e infinitas possibilidades de compras e serviços que facilitam a vida de milhões de pessoas no mundo.

É preciso muito mais do que os tímidos programas governamentais que gastam muito mais com publicidade do que efetivamente com o objetivo final que é levar a inclusão digital ao povo brasileiro de todas as idades e todos os cantos do nosso imenso país continental. 

Embora saibamos que nem a educação básica chega com qualidade como imaginar que a inclusão digital e outras preocupações do mundo moderno serão atendidas pelos futuros governos? Mas é preciso que a sociedade exija, faça valer seus direitos e possa conseguir o que efetivamente é seu direito de cidadão.


Nenhum comentário: