20 de agosto de 2014

O monstro estuprador e a Justiça permissiva!

“O juiz é condenado quando
O criminoso é absolvido”
P.Ciro
        
 O médico monstro Roger Abdelmassih foi denunciado em 2008 após investigações do Ministério Público Estadual de SP, de onde derivaram 56 acusações de estupro contra 37 vítimas que foram pacientes de sua luxuosa clínica em São Paulo.
Segunda a imprensa na época (2010) a juíza do caso que o condenou proferiu o seguinte: “Uma avalanche de fatos absolutamente repulsivos e, não por outro motivo, as vítimas descreveram as sensações que possuem em relação ao mesmo como dor, raiva, nojo, humilhação e medo”.
Após ser julgado e condenado o monstro teve concedida pela Justiça o direito de recorrer em liberdade, mesmo tendo sido preso por cometer verdadeiras monstruosidades. Para a nossa justiça não importa se o crime é hediondo ou não, quase todos podem recorrer em liberdade e se quiser fugir, pois não há controle nem rigor com relação a demanda crescente.
Em que país do planeta um estuprador acusado e condenado a 278 anos de prisão em regime fechado tem o direito de recorrer em liberdade? Apenas no Brasil, onde o sobrenome é “Impunidade”.
O monstro fugiu pela porta da frente do nosso país, aproveitando-se da fraqueza da nossa justiça e do fato de que nossas fronteiras são totalmente desguarnecidas. Disseram que ele havia fugido para o Líbano, mas o calhorda estava com a esposa (Ex-Promotora) e filhos no Paraguai.
Sua confiança na impunidade era tanta que nem se deu ao trabalho de tingir os cabelos brancos, usar peruca ou disfarces. Estava vivendo numa mansão na maior tranquilidade, quando agentes da Polícia Federal e da Senad – Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai o prenderam enquanto levava os filhos na escola.
De volta a prisão no Brasil, mal chegou em solo tupiniquim e já está alegando estar passando mal. A velha ladainha de sempre, enquanto estava livre vivia com muita saúde no Paraguai, bastou ser preso começa a usar dos artifícios disponíveis pela nossa justiça omissa, fraca e vagarosa.
O monstro travestido de médico estupra, é preso, consegue sua liberdade para recorrer e foge do país. É preso, tem os mais caros advogados do país para poder enrolar a justiça e quem sabe nem cumprir parte dos 278 anos que foi apenado.
Assim é o Brasil, paraíso da impunidade e de milhares de possibilidades de recursos dos criminosos. Todas as esferas da nossa Justiça possuem um cardápio vasto de recursos, embargos declaratórios, habeas corpus, à disposição daqueles que cometem crimes ou são réus. Inclusive o Estado que utiliza de todas as artimanhas quando processado e condenado. Vide os precatórios.
Esperemos que desta vez o monstro Roger Abdelmassih não consiga responder em liberdade, visto que já foi julgado e condenado. Que a Justiça brasileira não permita que ele fuja novamente. As vítimas e seus familiares, assim com a parcela honesta que paga impostos neste país antecipadamente agradece. 

Nenhum comentário: