5 de março de 2014

Qual o papel do Teatro Municipal de Bauru?

“Se governar fosse fácil, não seriam
necessários espíritos iluminados”
Bertold Brecht.

Desde que cheguei a Bauru, há distantes 18 anos, espero, assim como todos os moradores da cidade que um dia o Teatro Municipal possa receber grandes peças, companhias de ballet, shows e ser utilizado por toda comunidade em grandes eventos.

Neste período que vivo na cidade, parte dele foi destinada a reformas, paralisações e funcionamento abaixo do que se espera de uma casa tão ilustre como o teatro municipal.

Nestes 18 anos a cidade gastou dinheiro com muita coisa, como festas desnecessárias, Jogos Abertos do Interior, obras que não saem do papel e outras que não terminam nunca como o viaduto que liga nada a lugar nenhum por estar completamente interrompido há anos.

Na semana passada minha esposa e uma grande amiga foram ao Teatro Municipal ver a peça “Palavra de Mulher”. A peça excelente fazia uma homenagem à fase feminina das letras geniais de Chico Buarque de Holanda. 

Ao chegarem ao teatro primeira sessão da noite uma delas foi usar o WC. Inacreditavelmente o banheiro feminino estava sem energia e sem papel higiênico. Sim, dois itens que não são assim tão importantes em quaisquer banheiros do mundo.

A Secretaria de Cultura contratou a peça, organizou a venda de ingressos e possibilitou que a mesma viesse a Bauru, apenas esqueceu-se de fazer o óbvio, que era checar todas as dependências do Teatro, antes que ele fosse aberto ao público e as atrizes.

Claro que, se este texto chegar ao conhecimento do Prefeito e do Secretario vão dar algumas desculpas, jogar a culpa em terceiros como todos sempre fazem no Brasil. Estamos muito distantes em termos gerais dos povos ditos do primeiro mundo, o motivo é simples, lá eles tem pessoas confiáveis, competentes e sérias na administração pública.

Não é só o Teatro Municipal que tem problemas com papel higiênico, pois no Fórum Criminal em Bauru os empregados precisavam trazer o mesmo de suas casas em 2006/7 quando lá trabalhei por alguns meses e vi com estes meus olhos atentos esta situação deplorável.

Nenhum comentário: