24 de fevereiro de 2014

Invasão estranha e muito mal explicada!

Podeis enganar toda a gente durante certo tempo;
podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo;
mas não vos será possível enganar sempre toda a gente.
Abraham Lincoln

O futebol foi surpreendido com a invasão de cem torcedores ao Centro de Treinamento Joaquim Grava pertencente ao Sport Clube Corinthians Paulista duas semanas atrás numa manhã de trabalho da equipe. As primeiras notícias falavam em invasão violenta, barbárie, agressões, roubos, etc. Nenhum órgão da imprensa esportiva teve o cuidado de checar as informações antes de leva-las a público. Como sempre crucificaram alguns, fizeram muita analogia, brincadeiras e cara de espanto na frente das câmeras de televisão.

As poucas cenas a disposição dos telespectadores mostravam ambiente calmo, alguns poucos torcedores entrando por uma fresta do alambrado, outros pela porta da frente e muitos policiais assistindo a tudo sem que nenhuma confusão fosse notada nestas imagens disponibilizadas. A seguir, presidente, dirigentes, médico e jogadores contaram suas versões de pânico, correria, sofrimento e medo. Um Boletim de Ocorrências foi lavrado numa delegacia próxima e o resto foi sendo digerido aos poucos pelo oportunismo barato de alguns órgãos de imprensa.

Algumas perguntas não foram feitas e outras tantas ficaram sem respostas, embora a mídia tenha absorvido o que foi passado, não o que verdadeiramente aconteceu dentro do CT corinthiano. Sendo assim poucos sabem a verdade, tanto que as autoridades policiais ao começarem o processo originado no B.O. perceberam que havia muitas lacunas na versão apresentada pela diretoria alvinegra.

Como os torcedores organizados e os corintianos não fogem a regra vivem em meio a brigas, confusões, crimes dentro e fora do país, ficou fácil sustentar sem provas o que foi denunciado e aceito pela mídia.
As perguntas sem respostas são as seguintes:
1. Quem permitiu a entrada dos torcedores no CT?
2. Por que a polícia que estava presente não foi chamada para dentro das instalações se haviam tantos problemas ocorrendo no CT?
3. Por que o clube não explica o motivo de 20 das 22 câmeras estarem desligadas no momento da invasão?
4. Quem desligou estas câmeras? A empresa que as instalou negou qualquer tipo de problema técnico nas mesmas.
5. A quem interessava politicamente este episódio no CT do clube e por quê?
6. Por que o clube não estabelece distância completa das torcidas organizadas, ficando as mesmas restritas a torcer nas arquibancadas, sem direito a ingressos, ou ajuda financeira de qualquer origem?
7. Por que o clube não trocou os alambrados por muros de alvenaria quando da invasão pós-jogo contra o Tolima em 2011?
8. Como o clube quer manter uma imagem internacional e até receber seleções em seu CT se o mesmo não dispõe de segurança alguma?
9. Andrés Sanchez que participou da fundação de uma torcida organizada, e hoje está fora da direção do clube está de que lado neste episódio lamentável?

O presidente do clube Mário Gobbi deve muitas explicações verdadeiras aos torcedores da Nação corinthiana que na sua maioria não invadem, não brigam e limita-se a torcer, torcer e sofrer pelo Todo Poderoso Timão e são a maioria pacífica e inteligente neste meio de organizadas com antecedentes criminais.


23/02/2014 01h56 - Atualizado em 23/02/2014 02h06
Guerrero desmente presidente sobre invasão a CT: ‘Não me agrediram’
Atacante vai depor na segunda-feira, mas avisa que ‘não tem nada a dizer’. Mário Gobbi dizia que jogador teria sido ‘esganado’ em incidente ocorrido no clube.

Nenhum comentário: