10 de dezembro de 2013

Violência + Impunidade = Caos

Os animais selvagens não matam por esporte.
O homem é o único para quem a tortura e a
morte de alguém da mesma espécie é diversão.
James Anthony Froude


Desde o ano de 1998, portanto há 15 anos foram contabilizadas aproximadamente 234 mortes ligadas ao futebol no Brasil. Os números não são exatos, mas dão a exata dimensão da situação que vive o país justamente no seu esporte mais popular.

O futebol como segmento da sociedade é um espelho exato da mesma, logo, a impunidade não poderia deixar de estar ao seu lado como grande problema para que a situação vexaminosa fosse resolvida há muito tempo.

Somente no ano de 2013 trinta pessoas já perderam a vida em brigas e confusões ligadas ao futebol. São brigas em estádios, nos seus entornos, emboscadas preparadas com antecedência e todo tipo de lutas medievais praticadas por selvagens travestidos de seres humanos.

Na maioria dos casos as mortes estão ligadas a brigas promovidas pelas chamadas “Torcidas Organizadas”, um câncer que se instalou no país. Elas começaram a se instalar nas arquibancadas dos estádios de futebol, depois passaram para os desfiles de escolas de samba onde também promovem brigas que levam integrantes a óbito.

Em ambos os casos o poder público muito falou, prometeu centenas de vezes soluções que na prática nunca foram implementadas no país. Após cada ato de selvageria aparecem na televisão promotores públicos dizendo-se favoráveis a extinção das torcidas organizadas.

O fato é que elas nunca são interditadas e fechadas definitivamente, afinal nossas autoridades constituídas nos três poderes não fazem nada contra a criminalidade, não seria no futebol que eles iriam agir. Preferem se omitir deixar os corpos baixarem suas sepulturas e com o esquecimento seguirem suas gestões medíocres até a próxima reeleição ou briga nos estádios.

As imagens mostradas durantes os jogos são fortes e deveriam ser utilizadas nos tribunais para condenar a penas rigorosas estes ignóbeis sem cultura, sem educação e com extinto assassino. Mas o que se vê são torcedores presos saindo em liberdade para viajar no próximo jogo de seus times e promover se tudo der certo novas guerra, mais mortes e mais terror aos torcedores e seus familiares que desejam apenas se divertir nos jogos de futebol.

Se fossemos um país sério, campeonatos seriam interrompidos, delegacias especializadas estariam prendendo arruaceiros e levando-os as barras dos tribunais para julgamento e condenação. Nada do que foi prometido em 1998 após a primeira morte de um torcedor vitima de violência foi cumprido.

Nossos governantes são sempre os culpados pela estado caótico de insegurança em que vivemos dentro e fora dos estádios de futebol. Nossa Justiça é omissa, lenta e o Legislativo não tem preocupação alguma com o bem estar do povo brasileiro.

A selvageria no futebol é um dos motivos do afastamento das pessoas de bem dos grandes espetáculos de futebol no país. A Alemanha, Inglaterra, Espanha, perceberam isso há muito tempo, seus governantes honestos e inteligentes criaram leis e condições para acabar com as mortes dentro e fora dos estádios de futebol.

Aqui no Brasil Dilma viajou para a África, seu ministro dos esportes está com a cabeça na Copa e o Ministro da Justiça não tem cabeça. As vésperas da realização da Copa do Mundo a briga protagonizada entre vândalos da torcida do Atlético Paranaense e do Vasco da Gama na Arena Joinville, por certo não servirão de incentivo aos turistas que querem vir ao Brasil. À imagem brasileira fica cada dia mais complicado no exterior graças à incompetência das nossas autoridades.

Nenhum comentário: