24 de novembro de 2013

Uma Copa do Mundo de Futebol para brasileiros!

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso.
Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta
nosso edifício inteiro. Clarice Lispector

Uma das premissas utilizadas para justificar o pedido do governo brasileiro ao Comitê Executivo da FIFA para sediar uma Copa do Mundo de futebol era de que os gastos seriam compensados pelo afluxo enorme de torcedores ao país. O turismo seria beneficiado assim como o país com a entrada de milhões em moedas estrangeiras para os cofres da nossa economia.

Entretanto com o começo das vendas dos ingressos para o evento que será realizado a partir de 12 de junho de 2014, ficou claro que os maiores interessados em adquirir os ingressos foram os torcedores brasileiros. Eles arrebataram quase 80% do montante colocado à disposição para compra.

Sendo assim, será muita pequena a entrada de estrangeiros no Brasil para assistir a Copa. Com isso, menos moedas estrangeiras circulando, refletindo negativamente no comércio e na economia nacional.

Os gastos nababescos com a construção de novos estádios não terão contrapartida alguma, uma vez que serão contabilizados como “Fundo perdido” numa conta qualquer na imensa divida interna brasileira. Nós brasileiros, apreciadores ou não do futebol, vamos com certeza pagar a conta a médio e longo prazo.

Na certa este governo ou o próximo seja ou não do mesmo partido, na hora que a corda apertar no pescoço da economia irá culpar terceiros, vão dizer que uma crise internacional qualquer prejudicou o Brasil e sendo assim, a sociedade vai ter que apertar os cintos.

Claro que, nesta hora eu e milhões de brasileiros adoraríamos esganar com os cintos o pescoço de todos os envolvidos no processo que culminou com a concessão dos direitos de realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no Brasil. Sabemos por antecedência que eles não vão estar mais no governo e vão se esquivar de dar explicações.

Assim, caminha a humanidade e em particular a sociedade brasileira, sempre à rabeira das falcatruas, tramoias e golpes dos seus políticos. Nada tenho contra o futebol, ao contrário admiro todos os esportes. Apenas sou contra um país que não possui saneamento básico, não tem escolas nem projetos educacionais consistentes ou ainda saúde pública decente gastar uma fortuna nababesca a fundo perdido.

Vão rir à toa apenas os organizadores, os patrocinadores, os gringos e todas as suas empresas que vão faturar muito em termos de comercio e negócios durante a realização do evento. A FIFA, esta entidade dirigida por homens senis ávidos por dinheiro não vai perder um minuto de sono assim que sair do país e perceber que seu evento deixou um legado de dividas e corrupção.

Resta esperar o apito na final e depois aguardar a hora do anúncio do governo federal pedindo a compreensão da sociedade para com os ajustes a serem feitos na economia. A Grécia e a Espanha, por coincidência também realizaram Copa e Olimpíadas em seus países e enfrentam tempos depois crises sem precedentes nas suas economias.



Nenhum comentário: