5 de novembro de 2013

Pinóquios dos tempos atuais!

“Nunca se mente tanto como antes das eleições,
durante uma guerra e depois de uma caçada"
Otto Von Bismarck

Todos já ouviram falar da estória de Geppetto e seu boneco Pinóquio, que ao mentir fazia com que seu nariz de madeira crescesse. A ficção foi escrita por Carlo Collodi e se passa numa aldeia italiana.

Pois no Brasil, caso os nossos políticos tivessem sido criados pelo mesmo criador de Pinóquio, como seria difícil para eles andarem pelas ruas e gabinetes com seus narizes gigantescos na frente da face.

Nunca se mentiu tanto quanto na política em geral, mas no Brasil isso ganha proporções imensas, não há como mensurar, tanto no Poder Legislativo como no Executivo.

Eles começam mentindo desde que assumem suas candidaturas e seguem assim na vida pública, onde a mentira se amplia e ganha contornos ainda piores. Mentem nos debates, depois, se eleitos, ampliam as mentiras para as entrevistas, os programas de rádio e televisão e principalmente nas propagandas de seus partidos, onde mentem sobre o que não fizeram e o que deveriam ter feito em suas gestões.

Existem os compulsivos como Maluf, que mente e crê na sua mentira, de tanto exercer o ato de mentir, passa a viver acreditando no que diz para a sociedade através da mídia e de seu partido político. Existem muitos que vivem assim como Maluf, vivendo e mentindo o tempo inteiro.

Temos também aqueles que fingem não mentir, embora saibam que estão mentindo o fazem de forma a passar aos seus interlocutores a imagem de moço bom, sério e que não usa deste ou de qualquer outro artifício na vida pública.

Em geral os tucanos do PSDB agem assim e isso faz com que muitos acreditem neles. Em São Paulo a situação pode estar dramática na segurança pública, mas Alckmin aparece na TV, diz que está tudo sob controle, que as taxas de homicídios e assassinatos caíram no Estado e boa parte da população acredita, mesmo que depois perceba que não era verdade aquela informação.

Com os petistas acontece algo um pouco diferente, eles podem até falar a verdade, porém ninguém mais acredita neles. Pois mentiram para si mesmos, enganaram a si mesmos e a todos para os quais fizeram discursos sobre honestidade, ética e comportamento na vida pública. Rasgaram seus estatutos com a imagem de mensaleiros, dólares nas cuecas dos seus assessores, manutenção de tudo que criticavam (Impostos altos, privatizações, parcerias com Sarney e companhia bela, etc.).

A política brasileira se constitui de uma enorme farsa, onde a mentira é o combustível dos políticos para com a população. O objetivo são as eleições e reeleições deles e de seus aliados, nada mais nem menos do que isso, nada importa. Mentir é válido na visão de todos os políticos desde que, aquela farsa ajude-os a galgar postos, cargos, não perderem eleições e seguir em frente.

Por este motivo que fica impossível acreditar em algo chamado futuro no Brasil. O passado e o presente mostram a todo o momento que não teremos futuro se mantivermos esta escória na nossa vida pública. Saída? Sim, Cumbica, Galeão, Confins, etc.



Nenhum comentário: