19 de outubro de 2013

Comparações que muitos não fazem!

“Grandes almas sempre encontraram
forte oposição de mentes medíocres.”
Albert Einstein

Na internet jorram aos montes tudo que é possível sobre a gestão de Lula 2003 – 2010 e de Dilma 2011 – até os dias atuais. Algumas verdades outras mentiras, por desconhecimento do assunto ou até por serem forjadas em ninhos de adversários que querem aproveitar os formadores de opinião desavisados com notícias e fatos nem sempre verdadeiros.

Lembro-me, por exemplo, da capa forjada e que nunca existiu da Revista americana Forbes que continha foto de Lula e dizia ser ele um dos homens mais ricos do Brasil. Era mentira, dias depois a revista americana desmentiu e disse nunca ter feito àquela capa. Outra mentira clássica foi uma montagem grosseira dizendo que o filho de Lula era dono de uma fazenda chamada Fortaleza no interior de SP. Na verdade a fazenda não existia, e a foto que ilustrava a mentira é da Universidade ESALQ que pertence a USP em Piracicaba – SP.

Em compensação nada é divulgado ou jogado na Internet contendo fatos reais das gestões tucanas de FHC ou dos governadores estaduais desta sigla, exemplo crasso é o Estado de SP governado há 18 anos pelos tucanos e que consegue ficar imune aos formadores de opinião e da grande mídia.

Casos não faltam para serem lembrados como, por exemplo, o Mensalão mineiro de Eduardo Azeredo – PSDB-MG ou de Marcondes Perillo – PSDB-GO e sua proximidade perigosa com Carlinhos Cachoeira. Em SP são 18 anos de gestões sem que nenhuma CPI fosse jamais aprovada para investigar o que quer que seja na gestão tucana.

Estes números publicados por Palmério Dória em seu excelente livro O Príncipe da Privataria dão uma noção exata das comparações que poderiam, mas não são feitas pelos formadores de opinião. Preferem detratar ao invés de analisar fatos e números entre gestões.

Muito há que se falar das privatizações criminosas que encheram muitas contas em paraísos fiscais e que nunca foram devidamente apuradas. A venda do setor de telefonia, a obscena venda da Vale do Rio Doce por preço muito abaixo do seu real valor. Sem contar a trama tucana para vender a Petrobrás.

Claro que muito teremos para falar da desastrada gestão petista a frente do país até o momento por dez anos. Mas falar de mensalão sem lembrar sua origem na gestão FHC na compra dos votos por R$ 200 mil para aprovação da emenda da reeleição é no mínimo incoerente.

Nenhum comentário: