22 de junho de 2013

Manifestações - O despertar de uma geração!

Se é preciso haver problemas,
que seja na minha época,
para que meus filhos tenham paz.
Thomas Paine

Tudo começou antes do decreto que aumentavam as passagens de Ônibus e Metrô em São Paulo. Para variar os políticos e nossos governantes não perceberam isso a tempo. Eles são tão presunçosos e tão senhores de suas decisões que jamais imaginavam que aqueles parcos R$ 0,20 (Vinte centavos) fossem representar tanto prejuízo as suas imagens, as suas gestões e ao conjunto da política nacional.

E por que tudo começou antes? Por que em São Paulo, o recém eleito Prefeito Haddad havia em sua campanha colocado em discussão justamente a questão da qualidade do transporte público, do passe livre, entre outras promessas vazias.

Por outro lado, o governador em sua arrogância costumeira, visto que está enraizado ao poder junto com seu partido pelos últimos 18 anos, nem percebeu que ao aumentar a tarifa do Metrô, um transporte de massa saturado, com falta de novas linhas e estações estaria fazendo com que o copo transbordasse.

O copo do povo encheu, passou do limite, e a antes pacata juventude do facebook foi as ruas exigir seus direitos, cobrar promessas de campanhas eleitorais e daquelas que são colocadas em programas eleitorais ao longo do ano, onde tudo é cor de rosa, onde tudo funciona e nem parece com nosso cotidiano sofrido.

Ao decretar um novo aumento de passagens que beneficiam apenas e tão somente a casta de empresarios que comanda a máfia dos transportes públicos no Brasil, São Paulo como sempre saiu na frente, desta vez, para motivar milhões de brasileiros a sair as ruas e protestar contra este escárnio dos governantes contra nossa gente.

Eles foram pegos de surpresa, os jornalistas e os analistas e todo conjunto de brasileiros e estrangeiros residentes em nosso país foram surpreendidos pela maior manifestação popular já feita no Brasil.

O samba e o futebol deram lugar aos gritos de Basta! de uma juventude que estava adormecida, mas muito mais antenada do que seus critícos acreditavam, eles estavam abastecendo seus tanques de oxigenio para no momento certo expolodir nas ruas e avenidas num grito uníssono que jamais será esquecido: “Se o preço não baixar, a cidade vai parar”.

Claro que os partidos e suas lideranças tentaram correr atrás, mas foram enxotados e rejeitados, pois tiveram todo tempo do mundo para fazer isso que os jovens estão fazendo, mas preferiram fazer política partidária da pior espécie, preferiram ficar do lado errado da rua.

Alguns excessos foram cometidos pela multidão, facilmente identificados como gente de fora e sem a mesma ideologia daqueles que estão apenas usando a voz e o corpo para manifestar um desejo, expressar sua indignação.

Os demais, que estão quebrando, colocando fogo ou pichando dever ser enquadrados dentro da Lei. Devem inclusive pagar pelo prejuízo que estão dando ao erário e movimento, dando margem a intrepretações dúbias que não cabem nestas manifestações ordeiras e democráticas nas ruas brasileiras.

Estava esquecendo de um detalhe: Por que ocopo do povo encheu? Simples:

1. Falta de segurança e de ação para resolve-la por parte das autoridades;

2. Saúde Pública relegada a quinto plano, com brasileiros morrendo em corredores de hospitais imundos;

3. Educação com professores recebendo migalhas enquanto país gasta bilhões com políticos podres e semi-analfabetos;

4. Insensibilidade de um Congresso para coisas sérias como a PEC 37. Manutenção de um escroto a frente da Comissão de Direito Humanos (Marcos Feliciano) que prega a cura gay;

5. Inflação que solapa o bolso do trabalhador onde um tomate vale ouro e a capacidade de compra não vale nada;

6. Políticos insensiveis a causa do povo, preocupados apenas com seus partidos e com a próxima eleição;

7. Transporte público de péssima qualidade e com preço de transporte em país europeu;

8. Carga tributária excessiva e cada vez mais desnudada aos olhos do povo, que agora começa a entender para onde está indo seu salário por cinco meses do ano. Sem haver retorno algum que justifique tanto imposto;

9. Excesso de Programas federais contemplando de forma assistencisalista uma parcela enorme do povo sem dar aos mesmos empregos e dignidade;

10. Por último, o jovem brasileiro percebeu o quão importante é a sua participação na nossa sociedade, tomou gosto e agora será difícil tirá-lo das ruas tão cedo. Vieram para ficar!

Nenhum comentário: