14 de maio de 2013

Ajuda humanitária com o chapéu do povo!

Algumas das melhores lições são aprendidas
dos erros do passado. O erro do passado
é a sabedoria do futuro. Dale Turner

Desde que tomou posse no governo federal em janeiro de 2003 o PT – Partido dos Trabalhadores tem abusado do direito de ajudar países das mais variadas formas.

Para fazer média com a ONU – Organização das Nações Unidas enviou milhares de soldados para a chamada ajuda humanitária no Haiti. A presença dos soldados é cansativa, onerosa demais e não traz ganhos em tecnologia ou qualquer outro ponto que queiramos discutir.

Outra forma de ajuda é aquela que fazemos com Cuba. Convênios são fechados e não são discutidos pela sociedade através de seus legítimos representantes no Congresso. O último exemplo foi à decisão de trazer seis mil médicos ao país para supostamente trabalharem nas localidades onde temos carência no atendimento.

Todos sabem que nosso problema passa pela falta de planejamento, pela ausência de investimentos de recursos na construção e na modernização dos hospitais e postos de atendimento pelo país adentro. Precisamos qualificar nossos novos médicos, mas acima de tudo direcioná-los para que formados façam ao menos estágios na mesma região par aonde levaremos cubanos.

Outra forma de ajuda que o Brasil bonzinho do PT pratica é dar empréstimos vultosos ou perdoar dividas com países como Bolívia, Angola e outras repúblicas pelo continente afora. Se somarmos estas quantias perceberemos que são recursos valiosos que deveriam estar sendo aplicados em saúde, educação e segurança em nosso país.

No Norte/Nordeste e parte do Centro Oeste não ficamos nada a dever aos países mais pobres e carentes do mundo. Falta água, alimentos, empregos, investimentos em agricultura, geração de novos negócios nas atividades que não afetem o meio ambiente, atendimento médico, salas de aula decentes.

Portanto torna-se inconcebível que nossos governantes fiquem brincando de ajudar como dinheiro alheio (nosso) outros países sem que para tanto haja uma autorização do povo (Plebiscito, por exemplo).

Nós ajudamos demais a Bolívia de Evo Morales, que em troca quase encampou a Petrobrás e praticamente arruinou o comércio entre os dois países no que tange a extração e exportação de gás natural.

Sendo assim, o tratamento do Brasil deve ser igual aos desiguais. Afinal de contas não me recordo de ver alguma nação tratar o Brasil com cordialidade e perdoar nossas dividas ou nos conceder empréstimos em condições melhores do que o FMI por exemplo.

Quando quiser fazer bondades, que o PT doe os bens pessoais de seus dirigentes e voluntários quando for ajudar algum país ou algum déspota qualquer.


Nenhum comentário: