9 de fevereiro de 2013

Uma renovação urgente e necessária!

Algumas das melhores lições são aprendidas
dos erros do passado. O erro do passado
é a sabedoria do futuro. Dale Turner

Para podermos imaginar que o Brasil terá um futuro digno, decente e que seja foca numa visão de médio e longo prazo rumo ao desenvolvimento sustentável e a preservação da sociedade e seu meio ambiente é preciso antes renovar a política nacional.

A renovação é um trabalho árduo e requer entre tantas coisas, tempo, investimento maciço em Educação, reformas no sistema político arcaico que está em vigor e ainda, voto consciente e não obrigatório.

É inconcebível que um país com mais de duzentos milhões de habitantes seja representado por pessoas como Renan Calheiros, acusado de diversos crimes contra o erário e com a ficha mais suja que pocilga. Tal qual, é errado termos na presidência da Câmara Federal um homem que acaba de ser acusado pelo MP de ações suspeitas de lavagem de dinheiro e muito mais.

Alguns políticos fazem da vida pública extensão de sua vida pessoal e profissional, o presidente da Câmara está perpetuado no poder a 44 anos consecutivos. José Sarney está no poder seja Executivo ou Legislativo desde 1965.

Algo precisa ser feito para renovar, evitar poder vitalício mesmo que a custa do voto de cabresto financiado pelas diversas oligarquias ainda vivas no país. Oligarquias que se beneficiam e nada fazem é claro, para que o eleitor tenha informação, educação e cultura.

Cabe a sociedade civil organizada diante deste impasse com a ausência de investimento em educação e das reformas políticas necessárias pressionar o conjunto da sociedade com ações positivas, pontuais na direção do Congresso Nacional.

Com o auxilio da mídia e das redes sociais é possível usar o instrumento da Ação popular: Legitimidade ativa do cidadão como instrumento de controle externo sobre o ato ilegal e lesivo ao patrimônio público.

Assim como na implantação da Lei da Ficha Limpa a única saída que vejo no país é à força das Organizações Não governamentais sem vínculos partidários e sem recebimento de verbas públicas liderarem uma corrente para renovar nossa política já.

Nenhum comentário: