14 de fevereiro de 2013

Catar prova que seca no nordeste tem solução!

Perdoamos uma criança que tem medo
de escuro facilmente. A verdadeira tragédia da
vida é quando homens têm medo da luz. Platão

Desde sempre no Brasil lidamos com o sofrimento e a angústia do povo sertanejo do nordeste do país. A falta de chuvas e a ausência completa de interesse dos nossos governantes em oferecer alternativas para resolver o problema fazem parte da chamada indústria da seca nordestina.

Com esta situação o êxodo para os centros mais desenvolvidos virou pratica comum desde a década de ’50, onde os retirantes contribuíram para o real desenvolvimento de São Paulo, Rio de Janeiro e a construção de Brasília.

Em troca recebiam salários que possibilitavam a sua manutenção e até o envio de recursos para seus familiares que ficavam resistindo à seca, a sede e a fome em seus lares.

Sempre soubemos que havia alternativas, mas era preciso vontade política, honestidade e visão de futuro. Algo que nossos políticos não possuem em seus DNA’s corruptos e carcomidos por uma doença contagiosa chamada “Corruptose aguda”.

Pois em pleno século XXI ficamos sabendo de uma iniciativa no Catar, em pleno deserto do Golfo Pérsico, que deixa claro que a situação nordestina já poderia ter sido resolvida há muito tempo, mesmo sem tanta sofisticação.

Em dezembro de 2012 uma empresa chamada Sahara Forest Project AS inaugurou uma unidade de demonstração no deserto do Catar. A ideia é utilizar água do mar e a luz do sol para cultivar plantas no deserto. Um verdadeiro Oásis artificial que serviria também para conter a desertificação e ainda produzir biocombustível.

Usando água salgada retirada do Golfo Pérsico e eletricidade a partir de placas solares, a ideia é cultivar alimentos em estufas gigantes e até criar algas em tanques para então, produzir biocombustível.

Claro que o Catar não tem problemas financeiros, mas seu problema geográfico é muito mais grave que o nosso. Na verdade o que lhes favorece em demasia é que naquele país inexistem governantes corruptos. O dinheiro público é aplicado para o bem público.

Aliás, não importa a Nação, raramente veremos no planeta um lugar onde a desfaçatez, a falta de vergonha na cara seja tão grande nos políticos como no Brasil. Sua gente morre de sede e fome enquanto prefeitos e governadores além do governo federal torram verbas com publicidade, reeleições, propinas e outras barbaridades.

O Japão, Israel, Catar, e tantos outros países dão exemplos para o mundo do uso adequado da tecnologia em favor do povo. Aqui precisamos de presídios gigantes, enquanto lá fora eles constroem Escolas e Oásis que vão mudar o futuro de seus povos.


Nenhum comentário: