10 de janeiro de 2013

Ricardo Teixeira e a consultoria milionária para a CBF

Distorcem-se fatos para satisfazer
teorias, e não o contrário.
Sherlock Holmes



A CBF – Confederação Brasileira de Futebol é uma entidade rica, poderosa e que não costuma ter problemas com dinheiro nem com investigações em relação as suas atividades esportivas, bem como sua contabilidade milionária.

Prova disso é a notícia recente de que seu ex-presidente Ricardo Teixeira que ficou no cargo durante mais de 18 anos recebe após sua saída da entidade um salário nada modesto para os padrões brasileiros - A cifra mensal de R$ 120.000,00 (Cento e vinte mil reais).

Os novos dirigentes que a princípio vieram com discurso de mudança, renovação, reagiram a noticia veiculada na mídia e trataram logo de dar sua versão oficial ao caso.

_ Ele (Ricardo Teixeira) não recebe salário da CBF, jamais permitiríamos isso em nossa impoluta administração, este valor refere-se ao pagamento referente à Consultoria dada pelo Senhor Ricardo Teixeira à CBF.

Eu sabia que havia uma explicação, tinha certeza, aliás, que isso não era verdade. Pronto, agora está muito bem explicado a sociedade brasileira, amante ou não do futebol. Ele não recebe salários e sim cento e vinte mil mensais para dar consultorias. Ufa!

A soma anual das consultorias permite ao “Consultor” Ricardo Teixeira receber a módica quantia de R$ 1.440.000,00 (Um milhão, quatrocentos e quarenta mil reais) dos cofres da CBF.

Você quer saber da onde saem estes recursos? Se o consultor recolhe Imposto de Renda sobre os valores recebidos? Se alguém investigou para saber onde e quando foram ministradas as tais consultorias e sobre quais assuntos? Pergunte a Jose Maria Marin enviando carta para a Rua Victor Civita, 66 - B1 - Edifício 5 (5º andar) Condomínio Rio Office Park Barra da Tijuca - CEP: 22.775-044. O site da CBF não dispõe de endereço eletrônico para o envio de mensagens ao presidente.

Conheço alguns notáveis consultores que jamais receberam R$ 120 mil mensais para repassar seus conhecimentos técnicos ou científicos a uma empresa, governo ou quaisquer entidades. O caso de Ricardo Teixeira talvez devesse entrar para o Guiness Book, não tanto pelo valor mensal, mas sim por enganar tantos por tanto tempo. É desconhecido o teor do seu contrato e quando ele efetivamente exerceu consultoria que justificasse essa fortuna que José Maria Marin diz ser paga por consultorias prestadas a CBF.

Não é de hoje que a oposição no Congresso deveria formular uma investigação ampla, profunda e radical nesta entidade milionária que detém os recursos dos campeonatos de futebol, da seleção nacional e dos direitos de imagem e contratos com a mídia, empresas patrocinadoras etc.

O único parlamentar que e esforçou neste sentido foi Romário, porém seus parceiros parlamentares não gostam de fazer tabelinha como Bebeto fazia na Seleção. Eles gostam de evitar polemicas quando para tanto recebem algo em troca, sejam ingressos, promessas ou até jogos da seleção em seus Estados e Municípios.

Com a palavra o Congresso Nacional...

Nenhum comentário: