22 de dezembro de 2012

Efeito Orloff da Colômbia no Brasil!

Perdoamos uma criança que tem medo de
escuro facilmente. A verdadeira tragédia
da vida é quando homens têm medo da luz.
Platão

Há muito tempo atrás a mídia veiculou uma propaganda que ficou famosa à época. Era uma propaganda de uma Vodka onde o personagem principal dizia ao outro: “Você sou eu amanhã”. A vodca não sei se vendeu bem, porém o bordão ficou e ainda é utilizado de vez em quando.

Pois neste caso em que vou citar abaixo a Colômbia supostamente usa este bordão para com o Brasil no que diz respeito ao narcotráfico e suas formas de ação.

O cartel de Medellín na Colômbia foi uma rede de traficantes de drogas muito bem organizada, originária da cidade de Medellín, na Colômbia. Operou durante a década de 1970 e a década de 1980. Estima-se que o cartel chegou a faturar cerca de 60 milhões de dólares por mês e tinha cerca de 28 bilhões no total.

O cartel de Cáli era um cartel de drogas situado na região sul da Colômbia, ao redor da cidade de Cáli. De acordo com algumas estimativas o Cartel de Cali controlou 80% das exportações de cocaína da Colômbia (após a separação do Cartel de Medellín devido à morte e captura de seus líderes entre eles o mais conhecido: Pablo Escobar) para os Estados Unidos. Gilberto Rodríguez Orejuela fundou o Cartel de Cali em 1970 em conjunto com José Santacruz Londoño.

Estes cartéis utilizaram durante muitos anos de uma estratégia que procurava corromper policiais para que seus movimentos não fossem detectados pelo governo colombiano. Com o passar dos anos, a polícia e o governo colombiano foram endurecendo suas ações e os criminosos passaram então a matar os centenas de policiais.

A forma era simples, pagavam para pequenos criminosos uma quantia em dinheiro para aqueles que eliminassem policiais colombianos ou até perdoavam dividas de drogas em troca dos assassinatos de qualquer policial.

O efeito Orloff por mim utilizado no título deste texto se refere justamente ao que vem ocorrendo com muita frequência no RJ e em SP. Somente este ano mais de cem policiais morreram nestes Estados vitimas de emboscadas, fuzilamentos, mortes sem explicação a ser apuradas, vitimas de execuções cruéis mesmo em seus horários de folga.

No Brasil além do narcotráfico temos organizações criminosas organizadas dentro e fora das penitenciárias. O CV – Comando Vermelho no RJ e o PCC – Primeiro Comando da Capital em SP são algumas delas.

Estas organizações quando afrontadas pelo governo brasileiro costumam atear fogo em ônibus, explodir bancos e até delegacias e matar policiais de forma cruel em ações de execução.

A Justiça brasileira e todas as autoridades deste país precisam acordar para esta situação, endurecendo suas leis para com os criminosos, planejando, criando estratégias de combate ao tráfico nas fronteiras, impedindo circulação de armas e drogas e efetuando trabalho de prevenção. Sem contar com o imprescindível investimento em Educação a curto, médio e longo prazo começando ontem.


Nenhum comentário: