16 de novembro de 2012

Governador de SP não sabe explicar o óbvio!


“Tanto vencedores quanto derrotados,
ambos, tropeçam e caem; a diferença é que
os vencedores se levantam rapidamente".
Peter George
O PSDB partido político do governador de São Paulo Geraldo Alckmin está no poder a quase 19 anos, ou seja, desde janeiro de 1995. Neste período ele esteve à frente do povo paulista como Vice Governador ou Governador por 15 anos. Convenhamos que é tempo demais para um Gestor ou mesmo um partido.


Salta aos olhos daqueles mais atentos de que mesmo estando na gestão do Estado de SP por tanto tempo, não conseguiu impor uma gestão eficiente na segurança pública, nem tampouco na Educação.

Ambas se refletem na atual crise que a segurança pública enfrenta com mais de 90 policiais mortos, mais de duzentos civis mortos em crimes de execução nas madrugadas no nosso Estado e dezenas de viaturas e ônibus queimados por criminosos a céu aberto.


As únicas explicações que o governador conseguiu balbuciar foram as seguintes: “Estão fazendo uma campanha contra São Paulo" e “Nosso Estado é maior que a Argentina”. Além destas duas perolas Gerado Alckmin insiste em dizer que a violência está sob controle e que os números da criminalidade em nosso Estado são pequenos e não existem motivos para pânico da população.


Claro que ele não teria coragem de afirmar isso para uma viúva, uma mãe ou uma criança que perdeu seu parente policial nesta guerrilha urbana em que se transformou SP. Claro que ele não vai admitir jamais que temos um déficit de policiais civis e militares de quase 10 mil homens.


Lógico que para ele 19 anos não seria tempo suficiente de impor uma política penitenciária mais austera e com policiamento ostensivo, preventivo e com ênfase em investimentos tecnológicos e científicos que colaborem com a diminuição da criminalidade gradualmente.


O PCC – Primeiro Comando da Capital continua enfrentando o Poder Público sem que este execute de forma firme e inteligente um plano de segurança que aniquile com as ações dentro e fora dos presídios desta facção criminosa.


Enquanto os líderes do PCC mantém contato telefônico de dentro dos presídios com seus “gerentes” ordenando crimes, execuções e roubos a bancos nosso governador está culpando extensão territorial de SP.


Desta forma fica claro que o partido do governador é o SCC – Segundo Comando da Capital e está fadado a ser sempre um mero cobrador de impostos que não consegue impor uma Política ou ter um Projeto consistente no combate à criminalidade a a prevenção para ela.


Se ao menos o PSDB investisse pesado na Educação, valorizando-a e aos seus Educadores com certeza em 19 anos já teríamos algum progresso e menos crimes estariam acontecendo em nosso Estado. Olhar o mapa mundial não traz de volta os policiais mortos em combate nem os cidadãos inocentes que são vitimas da insegurança paulista.

Um comentário:

VITORINO disse...

Parabéns pelo texto! Concordo plenamente com suas ideias. Dezenove anos é muito tempo. Colocar culpa nas fronteiras é palhaçada. Temos de ter uma polícia mais eficiente e leis rígidas para inibir a criminalidade. A prisão deve trazer arrependimento aos criminosos e não congratulá-los. Por exemplo, na minha opinião, Champinha foi congratulado após assassinar, de forma cruel, aqueles jovens na floresta. Até pouco tempo atrás ele estava morando em uma casa boa, se alimentando 5 vezes ao dia (comida feita por nutricionistas). E ainda passava o maior tempo do dia assistindo televisão. José Serra disse que era melhor ele assistir televisão do que cometer crimes. Essa mentalidade destrói a minha racionalidade. Agora eu me pergunto: "Será que essa foi a forma de o governo demonstrar que cometer crimes não compensa?" Porque se for, muitas pessoas vão começar a cometer crimes também.