20 de agosto de 2012

Os nossos recursos continuam sendo mal utilizados!


Assim devemos ser todo dia, mutantes,
porém, leais com o que pensamos e sonhamos;
lembre-se, tudo se desmancha no ar,
menos os pensamentos. Paulo Baleki

O nosso país é o que mais arrecada impostos no planeta sem dar em troca o valor arrecadado em forma de saúde pública, educação de qualidade, segurança pública, habitação e saneamento básico principalmente.

Esta arrecadação tributária exorbitante e desmedida serve para custear programas sociais de eficiência duvidosa, alimentar indústria da corrupção e ser utilizada para custear a divida interna de um governo sem controles.

Esta situação em maior ou menor proporção é extensiva aos governos estaduais e municipais por todo vasto território nacional. Privatizaram setores da economia, desempregaram milhões, porém não conseguem fazer uma reestruturação administrava decente em seus próprios governos.

Com isso torram milhões com um quadro de funcionários imenso, sem que, no entanto façam com que esta multidão preste serviços de qualidade a população. Gastam outros milhões com propaganda do que prometem, do que pensam que vão fazer e até do que nunca fizeram.

O orçamento da União assim como dos Estados e Municípios é discutido à exaustão, mas sempre ao final do ano seguinte, a maioria das verbas a eles destinadas não é gasta com aquilo que se aprovou e deveria contemplar a sociedade.

Obras são prometidas e não raramente não saem dos papéis, sequer são erigidos seus projetos ou seus processos licitatórios. Faltam penitenciárias, hospitais, escolas, casas populares, manutenção e conservação de estradas, ferrovias, construção de novos aeroportos e portos, hidrovias, etc.

Sem contar com a premente e já exaurida necessidade de reformas politicas, tributárias, dos sistemas judiciais, enfim, uma reformulação completa que recoloque o Brasil próximo do terceiro mundo, visto que nos últimos anos de corrupção desenfreada descemos um pouco neste patamar de avaliação de países dentro da conjuntura mundial.

Temos potencial, mas no falta ação, honestidade de propósitos de nossos falidos governantes, que gastam mal, não tem visão de futuro e acabam levando a corrupção para o meio da sociedade, transformando-a em algo “normal” para todos.

No dia 15/08/2012 a presidenta Dilma Rousseff mais uma vez prometeu assim como seus três últimos antecessores (Collor, FHC e Lula) um pacote de obras de infraestrutura nos transportes (Rodovias e Ferrovias).

O pacote de concessão (Privatizar ou terceirizar) para duplicar quase 6.000 quilômetros de rodovias sem ter conseguido cumprir metas bem mais modestas de obras iniciadas há quatro anos em estradas federais concedidas.

O último grande pacote de concessões de rodovias foi licitado em 2007, com contratos assinados em 2008 que previam investimentos de R$ 945 milhões (R$ 1,2 bilhão em valores atualizados) em 270 km de obras de duplicação e construção de estradas.Essas obras deveriam estar concluídas até o início de 2013, mas nenhuma ficará pronta no prazo. Até fevereiro, apenas pouco mais de R$ 100 milhões haviam sido gastos nos projetos.

Impossível acreditar nela e em seu staff do ministério dos transportes. A promessa levada ao ar por todas as formas de mídia existentes, não será cumprida assim como não foram nenhumas das anteriores nos últimos 25 anos no país. Estradas existem apenas em SP, construídas antes do PSDB tomar posse eterna do Estado, onde a maioria está pedagiada (Pedágio - que é a maior obra do PSDB em 17 anos), pois no restante do país, temos arremedos de estradas sem duplicação, sem asfalto e sem segurança alguma para veículos pequenos e caminhões.

Nem o escoamento da safra é feito de forma correta, perdemos milhões com o desperdício de grãos, centenas de acidentes diários com mortes por causa dos milhares de caminhões circulando em nossas estradas precárias.

Safra, aliás, que deveria ser feita através de ferrovias modernas e seguras, visto que nosso país tem imensa plataforma continental assim como a China, Índia, etc. Mas FHC e o seu PSDB preferiu sucatea-las ao invés de implementa-las para maior segurança e eficácia dos nossos deslocamentos internos e de nossas cargas. O PT comodamente deixou tudo como estava.

Uma vergonha nacional que se soma aos aeroportos compatíveis com republiquetas de quinta categoria. Nossos portos então são obsoletos e nos envergonham diariamente. Portanto, esta soma vultosa de recursos prometidos por Dilma Rousseff talvez seja mais um ato de marketing, num ano eleitoral, onde o partido do poder precisa de espaço na mídia para tentar manter seu status quo.

Nenhum comentário: