17 de julho de 2011

No Brasil eles podem tudo!

A gestão Dilma Rousseff já começa sendo um pouco do mais do mesmo de sempre no nosso país. Nenhuma novidade que pudesse ter nos surpreendido. Nenhum grande lançamento de novos programas, nenhuma promessa cumprida nos primeiros seis meses, enfim quase nada.

Quase nada por quê? Ao menos no quesito corrupção, desvios, superfaturamento e pessoas suspeitas fazendo parte da equipe a gestão começou com tudo, não deixou a desejar e já botou seu bloco na rua.

Primeiro foi o Ministro Chefe da Casa Civil Antônio Palocci que não conseguiu explicar o inexplicável fato de ter enriquecido vinte vezes mais seu patrimônio nos últimos quatro anos. Embora tenha conseguido tempo para tal proeza, embora tenha apresentado muitas pastas e documentos, não foi feliz.

Ou seja, pode arrumar emprego de mágico, de consultor financeiro, analista de bolsa de valores, mas de ministro não dá, pecou demais em pouco tempo. Foi com muita sede ao pote de ouro que lhe apresentaram.

Logo em seguida, para não ficar para segundo plano, veio o Ministro dos Transportes, Senhor Nascimento, não vamos confundir com o Capital Nascimento do filme Bope. Aquele era honesto e não estava envolvido em tantas maracutaias suspeitas.

O agora ex-ministro Alfredo Nascimento dos quadros do PR - Partido Republicano também não conseguiu explicar tantos contratos sob sua guarda com superfaturamentos, desvios de verba e de finalidade. A imprensa desnudou o rei e ele ficou nu.

Em sequência quase como na pista de boliche, caiu mais um pino, ou melhor, mais um ministro da Dilma. Desta vez seu Ministro das Relações Institucionais Luiz Sérgio por ser considerado frágil (incompetente) para ficar à frente daquela pasta.

Mas quem saiu perdendo como sempre nos três casos foi o povo, a sociedade civil, que mais uma vez percebeu que os caras perdem os dedos, mas ficam com seus anéis de ouro e diamante guardados em suas contas bancárias, seus cofres no exterior.

O senhor Palocci continua sua vidinha pacata de enriquecimento mágico na atividade privada, onde com certeza continuará faturando alto e sem que o MP e a imprensa venham a incomoda-lo com picuinhas.

Já o Sr. Nascimento, sai do governo, mas não sai da vida pública tão cedo, pois voltará impune ao Congresso onde voltará a exercer o cargo de Senado pelo Estado do Amazonas até o ano de 2014. O prêmio não para por ai, ele voltará a exercer o cargo de Presidente nacional do Partido Republicano.

Vejam que beleza, é demitido ou pede demissão tanto faz, cessa a partir daí os problemas para quem comete crimes ou improbidades nos governos brasileiros.

Cai pra cima como diz o ditado popular, pois além de não ser mais questionado no Senado, investigado no MP o ex-ministro volta a ter imunidade plena e pode rir daqueles que o “prejudicaram” enquanto estava no exercício do cargo de ministro da república.

O Sr. Luiz Sérgio caiu de um ministério e foi guindado ou presenteado com outro na mesma hora, nem chegando a cair. Foi defenestrado do Ministério das Relações Institucionais e virou Ministro da Pesca.

Quanto a Dilma, escolheu mal seus aliados assim como todos seus antecessores o fizeram nos últimos anos em que vigorou o sistema democrático no país. Depois de eleita, escolheu de forma ainda pior seus companheiros de equipe. Pois em seis meses já perdeu dois companheiros por denúncias de corrupção e teve de remanejar um terceiro por incompetência.

Não vejo a presidenta realizar uma reunião ministerial sequer, existem ministros que ainda não despacharam com Dilma no Palácio do Planalto. Pode? No Brasil pode, eles podem tudo.

Nenhum comentário: