2 de julho de 2011

Carro fabricado no Brasil é o mais caro do mundo! Por quê?

Desde que começou a se instalar e montar seu gigantesco parque industrial no Brasil, a indústria automobilística sempre conseguiu tudo o que queria do governo brasileiro. Isenções, pagamento de salários aquém dos que são pagos em suas matrizes, enfim, sempre gozou de toda liberdade empresarial para fazer o que bem quisesse nos seus negócios.

Inclusive tendo toda liberdade para enviar ao exterior, milhões de dólares que sempre socorreram na Alemanha, Itália e outras partes do mundo suas matrizes. A VW operou no vermelho por décadas na Alemanha enquanto no Brasil mesmo construindo carros de qualidade duvidosa vivia no azul.

A indústria nacional abusou do direito de fabricar carroças e sucatas que não davam certo nas suas matrizes. E manteve carros no nosso mercado que começaram a ser fabricados na década de ’50, como por exemplo, a Kombi e o Fusca da VW.

O que sempre deixou a todos atônitos foram os preços abusivos praticados por esta mesma indústria dentro do nosso país. Mas sempre que criticávamos, vinha à desculpa da enorme carga tributária cobrada por nossos gananciosos governantes. O que não deixa de ser verdade, um automóvel fabricado no Brasil carrega em algo em torno de 30% para veículos 1.0, 35% para os veículos com motorização entre 1.0 e 2.0 e 40% para aqueles com motorização acima de 2.0.

A este monstro de carga tributária, se denominou chamar por Custo Brasil (Carga Tributária + Custo do Capital) que onera a produção. Mas na verdade o grande vilão para tornar nossos carros os mais caros do mundo se chama Lucro Brasil.

O Brasil fechou 2010 como o quinto maior produtor de veículos do planeta e como o quarto maior mercado consumidor. Uma produção de 3,638 milhões de carros e a venda de 3,5 milhões de unidades. O presidente da ANFAVEA alega que mesmo vendendo muito não consegue abaixar os preços porque esta produção está distribuída entre 20 empresas no momento. Segundo sua tese, teríamos de produzir cinco milhões de carros para poder baixar o custo dos mesmos.

Na verdade estas indústrias aproveitam a falta de controle, a ausência de políticas industriais rígidas e triplicam seus lucros sem que nenhuma autoridade do país questione algo sobre estes valores. A margem de lucro aqui é três vezes maior do que no exterior onde estão localizadas as matrizes destas empresas.

O Honda City é um exemplo clássico de como o consumidor brasileiro é lesado, vilipendiado pelas montadoras na cara do governo inerte que elegemos. Esse carro da Honda é fabricado na cidade de Sumaré-SP e exportado para o México por aproximadamente R$ 25.800,00. Aqui no Brasil o mesmo veículo é comercializado por R$ 56.200,00.

Na Argentina que vive em crise e tem seu parque industrial sucateado a versão básica com cambio manual custa em torno de R$ 35.600,00. Ou seja, tributação excessiva = lucro ganancioso sem controle resultam em consumidores lesados, roubados nas concessionárias de todo Brasil. Com a benção da mãe menininha e toda cúpula política do país.

Nenhum comentário: